Sobral – 300×100
Seet

Dilma: Facebook já tem 49 festas para celebrar derrota ou vitória

admin -

<span style="font-size:14px;">O uso das redes sociais na pol&iacute;tica j&aacute; n&atilde;o &eacute; novidade. E, diante da influ&ecirc;ncia que se pode exercer na internet, n&atilde;o para de crescer o n&uacute;mero de a&ccedil;&otilde;es turbinadas por partidos e eleitores em defesa ou contra candidatos nas elei&ccedil;&otilde;es deste ano. A cria&ccedil;&atilde;o de an&uacute;ncios de festas pela vit&oacute;ria ou at&eacute; derrota de alguns pol&iacute;ticos &eacute; um ingrediente adicional.<br />
<br />
H&aacute; ao menos 40 &ldquo;festas&rdquo; marcadas no Facebook para celebrar uma eventual derrota da presidente Dilma Rousseff (PT), que vai tentar se reeleger. &Eacute; o que mostra levantamento realizado at&eacute; o &uacute;ltimo dia 15. Trata-se de um recurso para chamar pessoas em suas linhas do tempo para encontros de mentirinha. Desses eventos destinados &agrave; despedida da petista, o mais famoso deles j&aacute; beira os <a href="https://www.facebook.com/events/695080227195976/?source=73" target="_blank">700 mil convidados</a> &ldquo;confirmados&rdquo;. Se a provoca&ccedil;&atilde;o der certo, o evento acontecer&aacute; no domingo de 5 de outubro, mas sem uma cidade definida at&eacute; o momento.<br />
<br />
Organizador de uma outra festa, o gestor de recursos humanos Kleyton Jos&eacute; &ldquo;Conservador&rdquo;, 42 anos, de Bras&iacute;lia, faz parte da Nova Alian&ccedil;a Renovadora Nacional. Ele aposta que esse tipo de iniciativa em um espa&ccedil;o como o Facebook pode fazer diferen&ccedil;a em rela&ccedil;&atilde;o a quem ainda n&atilde;o decidiu em quem vai votar. &ldquo;A discuss&atilde;o e a exposi&ccedil;&atilde;o de opini&otilde;es nas redes sociais podem mudar o rumo das elei&ccedil;&otilde;es no &acirc;mbito estadual e federal&rdquo;, disse Kleyton. O evento dele j&aacute; tem mais de mais de <a href="https://www.facebook.com/events/1382296115364278/?fref=ts" target="_blank">210 mil convidados</a> &ldquo;confirmados&rdquo;. Se tudo acontecer como espera Kleyton, a festa ser&aacute; em Bras&iacute;lia, na 904 Sul, no dia 5 de outubro.<br />
<br />
Em resposta &agrave;s manifesta&ccedil;&otilde;es contra Dilma, surgiram pelo menos nove an&uacute;ncios de festas para celebrar a eventual reelei&ccedil;&atilde;o da petista. Esses eventos tamb&eacute;m somam menos apoiadores &ndash; o principal, criado pelo empres&aacute;rio Tom Pereira, de S&atilde;o Paulo, tem mais de <a href="https://www.facebook.com/events/246299142232007/?source=73" target="_blank">11 mil</a> &ldquo;confirmados&rdquo;. Se a contraprovoca&ccedil;&atilde;o tamb&eacute;m der certo, a festa deve acontecer na Avenida Paulista, em frente ao Masp, a partir das 16h.<br />
<br />
<u><strong>Boicote</strong></u><br />
<br />
Pereira suspeita que o Facebook faz &ldquo;boicote&rdquo; &agrave; sua festa pr&oacute;-governo. &ldquo;Esse evento vem sendo boicotado diretamente pelo Facebook, estava com duas mil confirma&ccedil;&otilde;es por dia. Do nada, a evolu&ccedil;&atilde;o caiu para 100 por semana&rdquo;, diz o organizador. &ldquo;Al&eacute;m disso, o contador de visitantes j&aacute; voltou e avan&ccedil;ou tantas vezes na contagem. &Eacute; ing&ecirc;nuo confiar nessa ferramenta&rdquo;, reclama. &ldquo;Muitas pessoas est&atilde;o perdidas, pois a oposi&ccedil;&atilde;o tem duas grandes armas: a m&iacute;dia e sua teoria do caos. N&oacute;s temos a fraternidade e a uni&atilde;o&rdquo;, acrescenta Pereira.<br />
<br />
O contador Mark Lehm, de Joinville (SC), organiza um evento pr&oacute;-Dilma. Ele diz n&atilde;o acreditar que seu evento possa influenciar algu&eacute;m, mas, na avalia&ccedil;&atilde;o dele, serve para mostrar que ningu&eacute;m &eacute; obrigado a ser anti-PT ou anti-Dilma apenas porque quase todo mundo na internet demonstra ter esse sentimento oposicionista. Tanto Pereira quanto Lehm informam que n&atilde;o s&atilde;o filiados a nenhum partido.<br />
<br />
H&aacute; ainda alguns eventos para celebrar a despedida de Dilma somente em 2018 e para a posse da petista em novo mandato, em 1&ordm; de janeiro do ano que vem.<br />
<br />
<u><strong>A&eacute;cio e Campos na berlinda</strong></u><br />
<br />
Se os eventos desfavor&aacute;veis &agrave; presidente Dilma parecem dominar o Facebook, rede social mais usada pelos brasileiros, tamb&eacute;m n&atilde;o s&atilde;o positivas as men&ccedil;&otilde;es ao senador A&eacute;cio Neves (PSDB-MG), nem em quantidade e nem em conte&uacute;do. Ele vai concorrer ao Pal&aacute;cio do Planalto e aparece em segundo lugar nas pesquisas de inten&ccedil;&atilde;o de voto. H&aacute; pelo menos quatro eventos em apoio ao tucano.<br />
<br />
H&aacute; ainda refer&ecirc;ncias &agrave; acusa&ccedil;&atilde;o segundo a qual o parlamentar &eacute; usu&aacute;rio de coca&iacute;na. Em entrevista recente, A&eacute;cio disse apenas ter fumado maconha aos 18 anos. &ldquo;E ficou por a&iacute;&rdquo;, disse.<br />
<br />
Presidenci&aacute;vel do PSB, o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, tamb&eacute;m parece n&atilde;o ter empolgado os internautas, ao menos por enquanto. At&eacute; o &uacute;ltimo domingo, havia um evento sobre eventual posse do pessebista como presidente da Rep&uacute;blica.<br />
<br />
<u><strong>Adi&oacute;s, governador!</strong></u><br />
<br />
Outros pol&iacute;ticos tamb&eacute;m n&atilde;o escapam da onda de eventos anunciados em redes sociais. H&aacute; festas de despedida para v&aacute;rios governadores.<br />
<br />
Entre eles, o do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), o de Goi&aacute;s, Marconi Perillo (PSDB), o de S&atilde;o Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD). Festas semelhantes est&atilde;o marcadas para celebrar o &ldquo;adeus&rdquo; das urnas ao senador e ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL) e ao deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). Todos devem tentar a reelei&ccedil;&atilde;o.<br />
<br />
<u><strong>Card&aacute;pio para pol&iacute;ticos</strong></u><br />
<br />
Al&eacute;m de eventos, h&aacute; p&aacute;ginas e grupos com o mesmo prop&oacute;sito. No Brasil, o Facebook tem 83 milh&otilde;es de usu&aacute;rios &ndash; o pa&iacute;s &eacute; o terceiro mercado da rede, ficando atr&aacute;s apenas dos Estados Unidos e da &Iacute;ndia. Em 2013, o termo &ldquo;elei&ccedil;&otilde;es&rdquo; foi o mais buscado no Facebook, segundo Bruno Magrani, diretor de rela&ccedil;&otilde;es institucionais da rede, declarou ao jornal Valor Econ&ocirc;mico.<br />
<br />
Este ano, a empresa ofereceu um &ldquo;card&aacute;pio&rdquo; de servi&ccedil;os eleitorais. Realizou um semin&aacute;rio em Bras&iacute;lia para mais de 200 pessoas, com um especialista do Facebook em campanhas e dicas para publica&ccedil;&atilde;o de v&iacute;deos curtos, uso de linguagem informal e publica&ccedil;&atilde;o no &ldquo;hor&aacute;rio nobre&rdquo; das 20h &agrave;s 22h.</span>

Comentários pelo Facebook: