Própolis produzida no Tocantins é mais eficaz no combate a doenças, mostra pesquisa

admin -

<span style="font-size:14px;">Devido ao clima de transi&ccedil;&atilde;o entre cerrado e floresta amaz&ocirc;nica a Pr&oacute;polis produzida no Tocantins apresenta caracter&iacute;sticas qu&iacute;micas mais eficazes no combate a doen&ccedil;as do que as produzidas em outras regi&otilde;es do Brasil. &Eacute; o que aponta o estudo desenvolvido pela Funda&ccedil;&atilde;o Universidade do Tocantins (Unitins) por meio da Organiza&ccedil;&atilde;o Estadual de Pesquisa Agropecu&aacute;ria (UnitinsAgro) no projeto: Apicultura como instrumento de transforma&ccedil;&atilde;o da agricultura familiar.<br />
<br />
Apesar das in&uacute;meras propriedades medicinais da pr&oacute;polis, a pesquisa teve como foco principal, a atividade antif&uacute;ngica e antibi&oacute;tica do produto. Para a realiza&ccedil;&atilde;o da an&aacute;lise antif&uacute;ngica foram isolados os fungos, Candida albicans e Candida tropicalis, da mucosa oral de pacientes odontol&oacute;gicos que utilizam pr&oacute;teses dent&aacute;rias, e para a antibi&oacute;tica foi testada a a&ccedil;&atilde;o da pr&oacute;polis produzida no Tocantins em rela&ccedil;&atilde;o &agrave; bact&eacute;ria Pseudomonas aeruginosa, respons&aacute;vel por boa parte dos casos de infec&ccedil;&atilde;o hospitalar.<br />
<br />
Segundo a pesquisa os resultados foram promissores. Na atividade antif&uacute;ngica foi comparada a a&ccedil;&atilde;o da pr&oacute;polis em rela&ccedil;&atilde;o &agrave; de antif&uacute;ngicos da ind&uacute;stria farmac&ecirc;utica como: fluconazol, nistatina e cetoconazol. Os medicamentos comuns n&atilde;o conseguiram eliminar algumas amostras dos fungos Candida albicans e Candida tropicalis mais resistentes, enquanto a pr&oacute;polis conseguiu extinguir todos os fungos presentes na an&aacute;lise. &ldquo;O resultado foi promissor e abre a possibilidade real da produ&ccedil;&atilde;o de v&aacute;rios produtos odontol&oacute;gicos a base de pr&oacute;polis para higiene e tratamento,&rdquo; &eacute; o que afirma o farmac&ecirc;utico e pesquisador, Hebert Lima Batista.&nbsp;&nbsp;<br />
<br />
Outro ponto importante da pesquisa revelou a a&ccedil;&atilde;o antibacteriana da pr&oacute;polis tocantinense no combate &agrave; bact&eacute;ria &ldquo;Pseudomonas aeruginosa&rdquo;, conhecida por apresentar resist&ecirc;ncia natural a um grande n&uacute;mero de antibi&oacute;ticos e respons&aacute;vel por boa parte dos casos de infec&ccedil;&atilde;o hospitalar. Os resultados revelaram que a pr&oacute;polis do Tocantins foi mais eficaz no controle bacteriano do que outras pr&oacute;polis produzidas no pa&iacute;s.<br />
<br />
Conforme o doutor em ci&ecirc;ncia veterin&aacute;ria e coordenador do projeto, Claudio Henrique Fernandes, com a implanta&ccedil;&atilde;o do projeto foi apresentado aos apicultores tocantinenses o sistema de Coleta de Pr&oacute;polis Inteligente (CPI). <em>&ldquo;A partir das nossas a&ccedil;&otilde;es os apicultores passaram a valorizar a extra&ccedil;&atilde;o da pr&oacute;polis, pois fornecemos o conhecimento t&eacute;cnico cient&iacute;fico para a implanta&ccedil;&atilde;o das CPI&acute;s, e com isso a produ&ccedil;&atilde;o de pr&oacute;polis triplicou com qualidade, depois da implanta&ccedil;&atilde;o dessa tecnologia,&rdquo;</em> explicou Claudio.<br />
<br />
O pesquisador afirmou ainda que a pr&oacute;polis sofre influ&ecirc;ncia da biodiversidade da regi&atilde;o. &ldquo;A zona ecotonal consiste em &aacute;reas de transi&ccedil;&atilde;o ambiental onde comunidades ecol&oacute;gicas diferentes entram em contato. Grande parte do Tocantins est&aacute; inserida nessa &aacute;rea e isso traz um diferencial na atividade biol&oacute;gica da pr&oacute;polis produzida na regi&atilde;o&rdquo;, disse o pesquisador.<br />
<br />
Os munic&iacute;pios inseridos na regi&atilde;o da zona ecotonal onde foi realizada a pesquisa s&atilde;o: Aragua&iacute;na, Nova Olinda, Aragominas, Nazar&eacute; e Piraqu&ecirc;.<br />
<br />
<u><strong>Projeto</strong></u><br />
<br />
O projeto Apicultura como instrumento de transforma&ccedil;&atilde;o da agricultura familiar tem quatro anos, com a data de implanta&ccedil;&atilde;o em 2010. A a&ccedil;&atilde;o j&aacute; atendeu cerca de 260 apicultores no Estado. Al&eacute;m da produ&ccedil;&atilde;o do mel o projeto visa tamb&eacute;m dar suporte t&eacute;cnico-cient&iacute;fico para a expans&atilde;o da cadeia produtiva dos apiderivados como: pr&oacute;polis, geleia real, cera e apitoxina.<br />
<br />
<u><strong>Pr&oacute;polis</strong></u><br />
<br />
Conhecida por ser um &ldquo;santo rem&eacute;dio&rdquo;, e tamb&eacute;m chamada de &ldquo;cola das abelhas&quot;, a pr&oacute;polis &eacute; o produto final de uma mistura de gomas, resinas e b&aacute;lsamos de diversas fontes vegetais, utilizada pelas abelhas para realizar a limpeza e prote&ccedil;&atilde;o da colmeia. Dentre as diferentes atividades atribu&iacute;das &agrave; pr&oacute;polis temos: antibacteriana, antif&uacute;ngica, antiviral, anti-inflamat&oacute;ria, citost&aacute;tica e imunoestimulante.</span>

Comentários pelo Facebook: