Após 21 dias, Sindicato faz acordo e servidores da saúde de Araguaína suspendem greve

admin -

<span style="font-size:14px;">Ap&oacute;s 21 dias paralisados, os servidores municipais da sa&uacute;de decidiram suspender a greve e retornaram ao trabalho nesta quinta-feira, dia 24. A decis&atilde;o foi tomada depois de uma reuni&atilde;o realizada entre o Sindicato dos Servidores P&uacute;blicos Municipais de Aragua&iacute;na (Sisepar) na noite de quarta-feira, dia 23, e secret&aacute;rio de Administra&ccedil;&atilde;o, Nahim Halum. O secret&aacute;rio apresentou as a&ccedil;&otilde;es que o munic&iacute;pio vem realizando com o objetivo de garantir os benef&iacute;cios reivindicados pelos servidores.<br />
<br />
Segundo a Prefeitura, o Projeto de Lei que regulamenta os adicionais de insalubridade e periculosidade est&aacute; pronto, apenas aguardando o parecer do Minist&eacute;rio P&uacute;blico do Trabalho relacionado ao PCMSO para ser encaminhado &agrave; C&acirc;mara Municipal.<br />
<br />
Quanto a poss&iacute;veis modifica&ccedil;&otilde;es relacionadas ao Incentivo Financeiro, que &eacute; um repasse fixo do Governo Federal e que determinadas categorias da Sa&uacute;de recebem, ser&aacute; objeto de estudo conjunto entre a Secretaria da Sa&uacute;de e o Sindicato visando a possibilidade de inclus&atilde;o de outras categorias para o recebimento do mesmo. Uma das reivindica&ccedil;&otilde;es&nbsp;</span><span style="font-size:14px;">dos servidores do SAMU</span><span style="font-size:14px;">, al&eacute;m de&nbsp;melhores condi&ccedil;&otilde;es de trabalho, &eacute; que o incentivo seja repassado aos condutores e t&eacute;cnicos.<br />
<br />
Em rela&ccedil;&atilde;o &agrave; data base, ficou acordado que o munic&iacute;pio analisar&aacute; os &iacute;ndices de reajustes aplicados, bem como as poss&iacute;veis perdas relacionados aos &uacute;ltimos anos. Eventuais compensa&ccedil;&otilde;es decorrentes desta an&aacute;lise, dependem de dota&ccedil;&atilde;o or&ccedil;ament&aacute;ria e recursos financeiros, segundo a Prefeitura.<br />
<br />
Um Projeto de Lei que concede 5,3% de corre&ccedil;&atilde;o salarial foi aprovado na C&acirc;mara Municipal e j&aacute; foi sancionado pelo prefeito. No entanto, os servidores reivindicam que o percentual seja pelo menos igual ao rejuste do sal&aacute;rio m&iacute;nimo (6,78%) e&nbsp;</span><span style="font-size:14px;">querem tamb&eacute;m a conclus&atilde;o do Plano de Cargos, Carreiras e Subs&iacute;dios (PCCS), bem como o pagamento retroativo da data-base que no per&iacute;odo de 2 anos acumulou 11,8% de perdas inflacion&aacute;rias.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;"><u><strong>Sisepar</strong></u><br />
<br />
Para o presidente do Sindicato dos Servidores P&uacute;blicos Municipais de Aragua&iacute;na (Sisepar), Carlos Guimar&atilde;es, o retorno das atividades dos servidores foi o voto de confian&ccedil;a dado por eles ao prefeito Ronaldo Dimas. &quot;A greve foi suspensa por acreditarmos que o prefeito vai cumprir as negocia&ccedil;&otilde;es&quot;, afirmou Paulo Maria Batista, representante do SEET.</span>

Comentários pelo Facebook: