Seet
Sobral – 300×100

Presidente do Igeprev falará à CPI na próxima terça; "quadrilha vai ter que dar conta do dinheiro roubado", diz Aragão

admin -

<span style="font-size:14px;">Est&aacute; marcada para a pr&oacute;xima ter&ccedil;a-feira, 26, &agrave;s 15 horas, a presen&ccedil;a do atual presidente do Instituto de Gest&atilde;o Previdenci&aacute;ria do Estado (Igeprev), Francisco Fl&aacute;vio Sales Barbosa, na Comiss&atilde;o Parlamentar de Inqu&eacute;rito (CPI) do Igeprev na Assembleia Legislativa (AL). A convoca&ccedil;&atilde;o foi realizada pela CPI ap&oacute;s solicita&ccedil;&atilde;o do deputado estadual Sargento Arag&atilde;o (Pros). O parlamentar tamb&eacute;m foi o autor do pedido de instala&ccedil;&atilde;o da CPI. A Comiss&atilde;o investiga as aplica&ccedil;&otilde;es financeiras e den&uacute;ncias de verbas do Igeprev.<br />
<br />
<u><strong>Rombo</strong></u><br />
<br />
Sargento Arag&atilde;o j&aacute; havia estimado um rombo de mais de R$ 300 milh&otilde;es feitos nos cofres p&uacute;blicos. Entre ele est&aacute; a liquida&ccedil;&atilde;o extrajudicial da empresa Diferencial Corretora de T&iacute;tulos e Valores, por parte do Banco Central. A empresa administrava cerca de R$ 150 milh&otilde;es do Fundo Previdenci&aacute;rio, o que corresponde a 5% do saldo estimado dos R$ 2,5 bilh&otilde;es do fundo.<br />
<br />
Uma auditoria feita no Igeprev no in&iacute;cio de 2013 demonstrou outra face cruel da administra&ccedil;&atilde;o do patrim&ocirc;nio. De cerca de R$ 3 bilh&otilde;es do instituto, o Igeprev tinha aplicado no FI Onix RF LP o equivalente a R$ 272 milh&otilde;es e 740 mil. Sendo que o Igeprev &eacute; o &uacute;nico cotista deste fundo.<br />
<br />
No balan&ccedil;o patrimonial do Igeprev em junho de 2012, consta como valor total de aplica&ccedil;&otilde;es o montante de R$ 2.111.614.287,39.&nbsp; No DAIR (Demonstrativo das Aplica&ccedil;&otilde;es e Investimentos dos Recursos), foram informados R$ 2.392.851.334,82. Uma diferen&ccedil;a, portanto, de R$ 281 milh&otilde;es.&nbsp; Para justificar, o Igeprev teria informado aos auditores que era uma imposi&ccedil;&atilde;o da Secretaria da Fazenda e que R$ 175.571.201,64 referiam-se a previs&atilde;o de perdas.<br />
<br />
<u><strong>Confronto</strong></u></span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;"><em>&ldquo;Vou confrontar o atual presidente do Igeprev [Francisco Fl&aacute;vio Sales], e ele vai ter que nos informar realmente o que aconteceu com os investimentos do Instituto. Precisamos saber na verdade quando, quanto e como investiu e se esse investimento j&aacute; rendeu e o que rendeu. Eles v&atilde;o ter que dizer o que aconteceu com esse dinheiro que &eacute; dos servidores&rdquo;</em>, afirmou Arag&atilde;o.<br />
<br />
<u><strong>Quadrilha do Igeprev</strong></u><br />
<br />
Arag&atilde;o apontou ainda que a &quot;quadrilha do Igeprev&quot; vai ter que dar conta do dinheiro roubado do Instituto. <em>&ldquo;V&atilde;o ter que dar conta do dinheiro dos servidores do Tocantins. N&atilde;o quero nem saber quem e em qual &eacute;poca fez o desvio dos recursos dos nossos servidores, vai ter que dar conta desse dinheiro</em>&rdquo;, destacou.</span><br />

Comentários pelo Facebook: