Homem é condenado a 18 anos por crime passional; mulher foi agredida com golpes de facão

admin -

<span style="font-size:14px;">Sob acusa&ccedil;&atilde;o do Minist&eacute;rio P&uacute;blico Estadual (MPE), sustentada no tribunal do juri pelo Promotor de Justi&ccedil;a Jo&atilde;o Neumann Marinho da N&oacute;brega, Jos&eacute; Cl&aacute;udio Barbosa Malheiros, 38 anos, morador da cidade de Arraias, foi condenado a 18 anos e seis meses de reclus&atilde;o por dupla tentativa de homic&iacute;dio e pela pr&aacute;tica de les&atilde;o corporal.<br />
<br />
O crime teve motiva&ccedil;&atilde;o passional. Inconformado com o fim do relacionamento com Aline Veloso de Souza Justino, Malheiros partiu para a agress&atilde;o ao encontr&aacute;-la em um bar, na noite de 25 de novembro de 2013. Ap&oacute;s agredir a v&iacute;tima de surpresa, ele desferiu diversos golpes de fac&atilde;o contra ela, decepando-lhe a m&atilde;o esquerda e atingindo sua cabe&ccedil;a e costas repetidas vezes.<br />
<br />
Aline Veloso foi hospitalizada em estado grave. O crime de homic&iacute;dio contra ela s&oacute; n&atilde;o foi consumado pela agilidade com que um vizinho prestou-lhe socorro e tamb&eacute;m porque uma outra pessoa, de nome Ant&ocirc;nio Carlos Ribeiro, mesmo sendo parapl&eacute;gico, interveio no momento das agress&otilde;es em defesa de Aline, entrando em luta corporal com Malheiros.<br />
<br />
Durante o embate, Ant&ocirc;nio Ribeiro caiu de sua cadeira de rodas, ficando em posi&ccedil;&atilde;o que o impediu de se defender. Em decorr&ecirc;ncia dos golpes sofridos, ele perdeu a for&ccedil;a da m&atilde;o esquerda, importante para a movimenta&ccedil;&atilde;o de sua cadeira de rodas.<br />
<br />
Ap&oacute;s as agress&otilde;es contra Aline Veloso e Ant&ocirc;nio Ribeiro, sempre fazendo uso de um fac&atilde;o, Jos&eacute; Malheiros partiu para o ataque contra uma terceira v&iacute;tima, Elo&aacute; Pereira, causando-lhe les&otilde;es corporais leves. Este &uacute;ltimo ataque n&atilde;o teve nenhum motivo aparente, tendo servido apenas para extravasar a f&uacute;ria do agressor.<br />
<br />
Jos&eacute; Cl&aacute;udio Barbosa Malheiros foi condenado por juri popular, no &uacute;ltimo dia 25. Dois promotores de justi&ccedil;a participaram do caso: Reinaldo Koch Filho, que apresentou a den&uacute;ncia; e Jo&atilde;o Neumann Marinho da N&oacute;brega, que acompanhou o processo e sustentou a acusa&ccedil;&atilde;o no plen&aacute;rio do Tribunal do J&uacute;ri.</span>

Comentários pelo Facebook: