Seet
Sobral – 300×100

Candidatos a governador do TO apresentam propostas e recebem demandas do segmento industrial

admin -

<span style="font-size:14px;">O Encontro de Propostas para a Ind&uacute;stria reuniu na noite desta quinta-feira, 18, cinco candidatos a governador do Tocantins em Palmas: Marcelo Miranda (PMDB); Carlos Potengy (PCB); Lu&iacute;s Claudio (PRTB); Eula Angelim (PSOL) e Sandoval Cardoso (SD).<br />
<br />
No evento realizado pela Federa&ccedil;&atilde;o das Ind&uacute;strias do Estado do Tocantins (FIETO) e mediado pelo jornalista Ti&atilde;o Pinheiro, os governador&aacute;veis falaram por dez minutos sobre os temas: Educa&ccedil;&atilde;o; Gasto P&uacute;blico x Investimento P&uacute;blico; Corredor de Desenvolvimento Tocantins/Araguaia; Plano de Desenvolvimento Industrial; Financiamento de Pesquisa, Inova&ccedil;&atilde;o e Energia.<br />
<br />
Na abertura, o presidente do Sistema FIETO, Roberto Pires, destacou que a ind&uacute;stria cresceu na &uacute;ltima d&eacute;cada, mas apesar disso, participa com apenas um quarto do seu Produto Interno Bruto.&nbsp; <em>&quot;Para ocupar mais espa&ccedil;o na economia, a ind&uacute;stria local tem que crescer mais r&aacute;pido e melhor&quot;</em>, citando ainda que produzir no Tocantins e no Brasil &eacute; caro. <em>&quot;&Eacute; caro porque a ind&uacute;stria est&aacute; submetida a um conjunto de obst&aacute;culos tribut&aacute;rios, trabalhistas e burocr&aacute;ticos. Este custo atrapalha e impede investimentos&quot;</em>, concluiu o presidente.<br />
<br />
Na sequ&ecirc;ncia, o gerente da Unidade de Defesa de Interesses da Ind&uacute;stria da FIETO, Jos&eacute; Fernandes, apresentou aos candidatos dados de oito indicadores determinantes da competitividade. Entre eles, a taxa de emprego na administra&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica. O Tocantins &eacute; o segundo estado com maior n&uacute;mero de trabalhadores no setor p&uacute;blico concentrando 42% do estoque total de empregos, enquanto em Santa Catarina essa taxa representa 11% e Goi&aacute;s 23%.<br />
<br />
<em>&quot;Esse contingente excessivo de funcion&aacute;rios p&uacute;blicos eleva o custo da m&aacute;quina, drena o er&aacute;rio, dificulta e impede a forma&ccedil;&atilde;o de poupan&ccedil;a interna para investimento</em>&quot;, explicou Jos&eacute; Fernandes.<br />
<br />
Depois da apresenta&ccedil;&atilde;o de propostas, os governador&aacute;veis receberam dos presidentes de sindicatos patronais industriais a &ldquo;Carta da Ind&uacute;stria&rdquo;. O documento &eacute; uma contribui&ccedil;&atilde;o da ind&uacute;stria para o pr&oacute;ximo governador com sugest&otilde;es e caminhos para ampliar a competividade com sustentabilidade e adequar o ambiente econ&ocirc;mico.<br />
<br />
<em>&ldquo;A FIETO tem feito um trabalho excepcional, mostrando que a institui&ccedil;&atilde;o tem que ficar lado a lado do setor p&uacute;blico, mas independente, e isso tem ocorrido</em>&rdquo;, avaliou o empres&aacute;rio e presidente do Sindicatos das Ind&uacute;strias Gr&aacute;ficas do Tocantins (SIG/TO), S&eacute;rgio Tavares.</span>

Comentários pelo Facebook: