Lucas, apontado como 'Laranja', receberia R$ 900 por emprestar conta para depósito de R$ 1,5 milhão

admin -

<span style="font-size:14px;">O estudante de engenharia civil do ITPAC de Porto Nacional, Lucas Marinho Araujo, ficaria com R$ 900 por ceder sua conta da Caixa Econ&ocirc;mica Federal de Piracanjuba (GO) para que Douglas Marcelo Alencar Schimitt, um dos quatro presos na opera&ccedil;&atilde;o da Pol&iacute;cia Civil de quinta-feira, movimentasse R$ 1,5 milh&atilde;o. Em nota &agrave; imprensa, a pol&iacute;cia goiana caracterizou o estudante como &ldquo;laranja&rdquo;.<br />
<br />
Na vers&atilde;o dada ao delegado, ainda no aeroporto, Lucas disse que o dinheiro teria vindo de uma fazenda do Par&aacute;. No segundo depoimento, j&aacute; na delegacia, mudou de vers&atilde;o sobre a prov&aacute;vel origem do dinheiro, ao afirmar que teria sindo adquirido &quot;atrav&eacute;s de um empr&eacute;stimo de uma factory de Bras&iacute;lia&quot;.<br />
<br />
Lucas tamb&eacute;m n&atilde;o soube dizer se a grana tinha qualquer envolvimento com tr&aacute;fico de drogas ou crimes eleitorais Ele disse que Douglas n&atilde;o lhe explicou a raz&atilde;o para o dep&oacute;sito ocorrer em Goi&aacute;s, nem para que e nem de quem eram os R$ 1.505.900,00 encontrados por ele na sua conta na ter&ccedil;a-feira.<br />
<br />
No tempo que permaneceram na ag&ecirc;ncia banc&aacute;ria de Piracanjuba, cidade onde Lucas morou at&eacute; 2009, ele transferiu, seguindo orienta&ccedil;&atilde;o de Douglas, R$ 400 mil para a conta da Triple Construtora, outros R$ 288 mil para a conta de &ldquo;Schineder&rdquo; e R$ 310 mil para &ldquo;La&iacute;s&rdquo;, identificada pela pol&iacute;cia como namorada de Douglas. &ldquo;Os novecentos reais que sobraram do dep&oacute;sito, ele (Douglas) deixou para o conduzido (Lucas) a t&iacute;tulo de amizade&rdquo;, revelou Lucas.<br />
<br />
Ao depor para o delegado Rilmo Braga, Lucas disse que Douglas &quot;atualmente est&aacute; trabalhando na campanha eleitoral ao governo do Tocantins, Marcelo Miranda&quot;. Lucas confessou ter emprestado sua conta para a movimenta&ccedil;&atilde;o a pedido de Douglas, empres&aacute;rio com quem fez amizade ap&oacute;s estagiar na empresa Triple Construtora, de Palmas, de propriedade de Douglas. Ele garantiu ao delegado que conheceu o motorista naquela quinta-feira e confirmou que Marco Antonio Jayme Roriz trabalha para o PMDB no Tocantins.<br />
<br />
Tamb&eacute;m revelou ao delegado que estava hospedado no mesmo quarto do Hotel Atenas, em Goi&acirc;nia, onde Douglas estava hospedado e saiu de l&aacute; por volta de 11h30 de quinta-feira ap&oacute;s o motorista busc&aacute;-los na Hillux apreendida na opera&ccedil;&atilde;o. Depois do saque, seguiram para o aeroporto onde tamb&eacute;m embarcaria para Palmas quando foram surpreendidos pela Pol&iacute;cia Civil de Goi&aacute;s.<br />
<br />
Na pris&atilde;o, al&eacute;m de Lucas, foram detidos Douglas, o motorista, Marco Antonio Jayme Roriz, e o piloto Roberto Carlos Maya Barbosa.&nbsp;<br />
<br />
Em nota &agrave; imprensa, a Pol&iacute;cia Goiana afirma que todos s&atilde;o suspeito de crimes de lavagem de dinheiro, associa&ccedil;&atilde;o criminosa (antigo crime de quadrilha ou bando) e de crime contra a ordem tribut&aacute;ria.</span>

Comentários pelo Facebook: