Marcelo assume compromisso de recriar a Secretaria Estadual da Cultura e voltar o Salão do Livro

admin -

<span style="font-size:14px;">O candidato ao governo do Tocantins pela Coliga&ccedil;&atilde;o &ldquo;A Experi&ecirc;ncia Faz a Mudan&ccedil;a&rdquo;, Marcelo Miranda (PMDB), esteve reunido no in&iacute;cio da tarde desta segunda-feira (22), com representantes de diferentes segmentos da cultura tocantinense, na capital.<br />
<br />
No encontro, acompanhado da candidata a vice-governadora Cl&aacute;udia Lelis (PV), o candidato peemedebista ouviu uma s&eacute;rie de reivindica&ccedil;&otilde;es e preocupa&ccedil;&otilde;es da classe art&iacute;stica e de produtores culturais, e ao final do evento assinou um compromisso que, dentre outras coisas, prev&ecirc; a recria&ccedil;&atilde;o da Secretaria Estadual da Cultura, a real aplica&ccedil;&atilde;o dos recursos do Fundo Estadual da Cultura, uma maior participa&ccedil;&atilde;o da sociedade civil no Conselho Estadual de Cultura e o respeito &agrave; pol&iacute;tica de editais de cultura como forma de democratizar e dar transpar&ecirc;ncia ao financiamento p&uacute;blico de projetos no setor.<br />
<br />
O ator e diretor teatral C&iacute;cero Bel&eacute;m foi muito cr&iacute;tico em rela&ccedil;&atilde;o a atual situa&ccedil;&atilde;o da cultura no Tocantins. Para ele, a atual gest&atilde;o &ldquo;<em>est&aacute; na contram&atilde;o das iniciativas nacionais no campo cultural, e n&atilde;o tem transpar&ecirc;ncia, impessoalidade e, nem mesmo respeito para com os agentes culturais&rdquo;</em>. Nival Correia, presidente da Federa&ccedil;&atilde;o de Teatro do Tocantins, ressaltou ainda que os espa&ccedil;os culturais do Tocantins, al&eacute;m de serem insuficientes, se encontram abandonados, n&atilde;o oferecendo as m&iacute;nimas condi&ccedil;&otilde;es de circula&ccedil;&atilde;o de espet&aacute;culos montados por artistas locais ou de outros estados.<br />
<br />
O ator Kak&aacute; Nogueira, &ldquo;o pobre&rdquo;, como ele mesmo fez quest&atilde;o de frisar, afirmou que os artistas n&atilde;o querem e n&atilde;o v&atilde;o mais mendigar por ajuda. &ldquo;<em>Pedimos espa&ccedil;o, oportunidades e respeito, algo que n&atilde;o enxergamos nos &uacute;ltimos quatro anos&rdquo;,</em> completou o artista.&nbsp;<br />
<br />
<u><strong>Abandono de projetos</strong></u><br />
<br />
Marcelo Miranda criticou a atual administra&ccedil;&atilde;o afirmando que o atual gestor desmontou a Secretaria Estadual da Cultura e a Funda&ccedil;&atilde;o Cultural, e abandonou todos os projetos do setor, a come&ccedil;ar por n&atilde;o honrar os compromissos de aplica&ccedil;&atilde;o do Fundo Estadual de Cultura. Marcelo relembrou as bibliotecas que instalou em sua administra&ccedil;&atilde;o, bem como as reformas que fez em parceria com a Funarte em v&aacute;rios espa&ccedil;os culturais e, de forma especial, citou o projeto Brasil-Fran&ccedil;a, onde p&ocirc;de levar v&aacute;rios artistas do Estado para que se apresentassem em Paris.<br />
<br />
O candidato do PMDB, Marcelo Miranda&nbsp; tamb&eacute;m adiantou que vai voltar com o Sal&atilde;o do Livro e criar um canal permanente de di&aacute;logo com artistas e produtores culturais. Por fim, junto com sua vice Cl&aacute;udia L&#8203;e&#8203;lis, assinou o documento entregue pelos artistas, dizendo que antes de se decidir por um gestor para as pol&iacute;ticas p&uacute;blicas de cultura do Estado, quer voltar a ouvir a todos que &#8203;atuam na &aacute;rea.</span>

Comentários pelo Facebook: