Kátia pede que PF investigue compra de votos "por parte do grupo governista", citando Eduardo Siqueira e Gomes

admin -

<span style="font-size:14px;">A senadora K&aacute;tia Abreu protocolou no Minist&eacute;rio da Justi&ccedil;a e na Diretoria Geral&nbsp; da Pol&iacute;cia Federal pedido de investiga&ccedil;&atilde;o e vigil&acirc;ncia nos cinco maiores munic&iacute;pios do Tocantins quanto &agrave;s den&uacute;ncias de compra de votos nos dias que antecedem as elei&ccedil;&otilde;es.<br />
<br />
O pedido da senadora foi feito oficialmente ao ministro da Justi&ccedil;a, Jos&eacute; Eduardo Cardoso, e ao diretor geral da Pol&iacute;cia Federal, Leandro Daiello Coimbra.&nbsp; No documento, tamb&eacute;m dirigido ao superintendente regional da Policia Federal&nbsp; no Tocantins, Robinson Fuchs Brasilino, a parlamentar justifica a preocupa&ccedil;&atilde;o em fun&ccedil;&atilde;o de in&uacute;meras den&uacute;ncias de contrata&ccedil;&atilde;o em massa de cabos eleitorais, atribu&iacute;das ao grupo governista, especialmente ao deputado federal Eduardo Gomes, candidato ao Senado e ao ex-secret&aacute;rio Eduardo Siqueira Campos, que disputa uma vaga na Assembleia Legislativa.<br />
<br />
Na sua justificativa, a senadora K&aacute;tia Abreu salienta &agrave; Pol&iacute;cia Federal e ao Minist&eacute;rio da Justi&ccedil;a, a comprovada vulnerabilidade econ&ocirc;mica dos munic&iacute;pios da regi&atilde;o do Bico do Papagaio, de onde &eacute; proveniente a maior parte das den&uacute;ncias.<br />
<br />
Para a Senadora, comprovadas as den&uacute;ncias, est&aacute;-se diante de uma velada compra de votos, &ldquo;expediente vedado pela Justi&ccedil;a Eleitoral&rdquo; por desvirtuar o processo democr&aacute;tico de escolha popular. &ldquo;O fato carece de investiga&ccedil;&atilde;o e repreens&atilde;o por parte da Pol&iacute;cia Federal, garantidora da lisura das elei&ccedil;&otilde;es proporcionais e majorit&aacute;rias no pa&iacute;s&rdquo;, ressalta a parlamentar no documento protocolado nas institui&ccedil;&otilde;es.</span>

Comentários pelo Facebook: