Douglas dá pistas de ser 'agente duplo': Júnior Miranda pagou sua conta no hotel, mas diz ser 'amigo pessoal de Eduardo'

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
Douglas Marcelo Alencar Schimitt o homem que &eacute; o centro de um grande esc&acirc;ndalo pol&iacute;tico ocorrido na semana passada, deu pistas de que, na verdade, &eacute; um &ldquo;agente duplo&rdquo;, que tem estreitas liga&ccedil;&otilde;es com integrantes dos principais grupos pol&iacute;ticos no Estado, o de Marcelo Miranda (PMDB) e Sandoval Cardoso (SD).<br />
<br />
Em entrevista ao <a href="http://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/nao-tenho-ligacao-alguma-com-marcelo-miranda-diz-empresario-preso-com-r-504-mil-em-piracanjuba-16194/" target="_blank"><em><strong>Jornal Op&ccedil;&atilde;o</strong></em></a>, em Goi&acirc;nia, Douglas afirmou que pertence ao &ldquo;grupo do Siqueira Campos, desde sua primeira elei&ccedil;&atilde;o&rdquo;. Sobre o seu encontro com Junior Miranda, irm&atilde;o de Marcelo, Douglas diz que nunca teve contanto com ele em sua vida, apesar de confessar que se encontraram no hotel e explica porque ele pagou sua hospedagem.&nbsp;<br />
<br />
– <em>J&uacute;nior passou no hotel e comentou comigo, ali em p&eacute;, que precisaria sacar um dinheiro para pagar alguma coisa, mas n&atilde;o estava conseguindo porque o limite de saque n&atilde;o permitia. Ent&atilde;o, eu disse a ele que minha conta no hotel daria aproximadamente R$ 1 mil. Perguntei se ele queria passar minha conta no cart&atilde;o e eu dava o dinheiro para ele. Ele aceitou e assim foi feito. Essa quest&atilde;o do hotel n&atilde;o tem nada a ver. Por exemplo, h&aacute; vinte dias eu fiquei hospedado durante um m&ecirc;s no Hotel Munarte, em Palmas, e quem pagou foi o Eduardo Siqueira. Uma conta de aproximadamente R$ 3 mil. Ent&atilde;o, isso n&atilde;o quer dizer nada</em>, conta Douglas Shmitt.<br />
<br />
Douglas continua reafirmando que todo o dinheiro, R$ 1,5 milh&atilde;o, &eacute; proveniente de um empr&eacute;stimo que fez em uma empresa de Factoring, em Bras&iacute;lia, para pagar suas d&iacute;vidas e de sua empresa (Triple Construtora). O homem relata ainda que ap&oacute;s ser preso, &ldquo;chegaram at&eacute; a enviar pessoas ligadas ao governo para me oferecer R$ 10 milh&otilde;es para dizer que o dinheiro era do Marcelo Miranda&rdquo;. No entanto, n&atilde;o quis revelar quem lhe procurou.<br />
<br />
Conforme entrevista, Douglas garantiu que &eacute; amigo pessoal de Eduardo desde 2010 e foi um dos principais aliados dele durante a campanha de seu pai ao governo.<br />
<br />
<u><strong>Quebra do sigilo telef&ocirc;nico e banc&aacute;rio</strong></u><br />
<br />
O acusado disse que est&aacute; tranquilo quanto a quebra dos sigilos, j&aacute; requeridas pela Pol&iacute;cia Civil, afirmando que n&atilde;o v&atilde;o achar nenhum v&iacute;nculo com Marcelo Miranda. &ldquo;Eu s&oacute; liguei para o irm&atilde;o dele no hotel. S&oacute;&rdquo;, disse.<br />
<br />
J&aacute; em rela&ccedil;&atilde;o ao grupo de Siqueira, Douglas afirmou que &ldquo;achar&atilde;o muitas liga&ccedil;&otilde;es&rdquo; suas com o Eduardo [Siqueira Campos].<br />
<br />
– <em>N&atilde;o apenas liga&ccedil;&otilde;es telef&ocirc;nicas. Se perguntarem para o porteiro do pr&eacute;dio dele, ele vai dizer que quase todos os dias eu estava l&aacute;. Ent&atilde;o, eu acho que ningu&eacute;m do Marcelo iria confiar a mim uma opera&ccedil;&atilde;o de dinheiro desse tamanho. E se eu fosse fazer algo nesse sentido, eu n&atilde;o iria passar pelas contas da minha empresa e da minha namorada. Eu pediria na factoring que me dessem o dinheiro em esp&eacute;cie. Assim, eu colocava esse dinheiro na caminhonete e levava para o Tocantins.</em><br />
<br />
<u><strong>Entenda</strong></u><br />
<br />
No dia 18 de setembro, Douglas e mais tr&ecirc;s pessoas &mdash; Lucas Marinho Ara&uacute;jo, Roberto Carlos Maya Barbosa e Marco Ant&ocirc;nio Jayme Roriz &mdash; foram presas no aeroporto de Piracanjuba, em Goi&aacute;s, portando R$ 504 mil em esp&eacute;cie em um avi&atilde;o. Os quatro s&atilde;o investigados por lavagem de dinheiro, associa&ccedil;&atilde;o criminosa e crime contra a ordem tribut&aacute;ria.<br />
<br />
Por&eacute;m, todo o esc&acirc;ndalo est&aacute; associado ao fato de que, dentro do avi&atilde;o, a pol&iacute;cia encontrou material de campanha do candidato a deputado estadual pelo PMDB de Tocantins Carlos Gaguim. Nos santinhos, ao lado de Gaguim, aparece Marcelo Miranda (PMDB). A investiga&ccedil;&atilde;o da pol&iacute;cia trabalha no sentido de que o dinheiro apreendido serviria de Caixa 2 para a campanha do peemedebista, o que caracteriza crime eleitoral.<br />
<br />
Marcelo Miranda, por&eacute;m, se diz v&iacute;tima de arma&ccedil;&atilde;o, que estaria sendo tramada por seu principal concorrente, o governador e candidato &agrave; reelei&ccedil;&atilde;o, Sandoval Cardoso (SD). Douglas Schimitt, solto no dia 22 de setembro sob pagamento de fian&ccedil;a, n&atilde;o confirma que foi arma&ccedil;&atilde;o. &quot;Acredito que n&atilde;o tenha havido arma&ccedil;&atilde;o, mas que est&atilde;o se aproveitando de uma situa&ccedil;&atilde;o para transform&aacute;-la em fato pol&iacute;tico&quot;, afirmou Douglas.<br />
&nbsp;<br />
<a href="http://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/nao-tenho-ligacao-alguma-com-marcelo-miranda-diz-empresario-preso-com-r-504-mil-em-piracanjuba-16194/" target="_blank"><u><strong>Confira a entrevista completa no Jornal Op&ccedil;&atilde;o</strong></u></a></span>

Comentários pelo Facebook: