Sobral – 300×100
Seet

Brito Miranda assinou vários contratos com empresas de Douglas, o primeiro ainda em 2002

admin -

<span style="font-size:14px;">Comprovantes de pagamentos e c&oacute;pias do Di&aacute;rio Oficial do Estado, encaminhados &agrave; imprensa pela Coliga&ccedil;&atilde;o &quot;A Mudan&ccedil;a que a gente v&ecirc;&quot;, neste domingo (28), mostram que o empres&aacute;rio Douglas Marcelo Alencar Schmitt e suas empresas mant&ecirc;m rela&ccedil;&atilde;o com o ex-secret&aacute;rio Estadual de Infraestrutura, Brito Miranda, h&aacute; d&eacute;cadas, quando o ex-gestor e pai do ex-governador Marcelo Miranda contratou as empresas de Schmitt para obras nas duas gest&otilde;es de Miranda.&nbsp;<br />
<br />
Conforme Di&aacute;rios Oficiais, a contrata&ccedil;&atilde;o de Douglas por Brito Miranda ocorreu por meio das construtoras Mediterr&acirc;neo Ltda, Terra Norte e Via Dragados S/A, nas quais &eacute; s&oacute;cio propriet&aacute;rio. Por obras empreitadas por Brito Miranda, as empresas de Douglas receberam R$ 2,7 milh&otilde;es em 2006 e R$ 432 mil em 2008.<br />
<br />
Um dos contratos mais antigos de Douglas com a pasta comandada por Brito Miranda foi firmado em 2002, mas com execu&ccedil;&atilde;o das obras se iniciando somente em 2 de maio de 2005. O Dertins repassou para a Via Dragados S/A as obras de asfaltamento da rodovia que liga Aparecida do Rio Negro a Goiatins em um trecho de 68,34 quil&ocirc;metros.<br />
<br />
Em 2013, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) julgou esse contrato ilegal por ter sido apostilado em mais de R$ 650,5 mil. Pelo erro, Brito Miranda foi multado pelo TCE que lhe imputou d&eacute;bito de mais de R$ 65 mil.<br />
<br />
Outra obra foi a&nbsp; restaura&ccedil;&atilde;o do asfalto da Rodovia TO-225 (Nova Rosal&acirc;ndia a Cristal&acirc;ndia) feita no contrato n&ordm; 157, assinado por Douglas e Brito Miranda em novembro de 2005. O extinto Departamento de Estradas e Rodagens do Tocantins (Dertins), comandado por Brito Miranda, pagou R$ 2.776.454,25 para a Construtora Terra Norte Ltda &nbsp;para recuperar os 31,6 quil&ocirc;metros do trecho.<br />
<br />
No ano seguinte, o contrato recebeu o primeiro termo aditivo (prorroga&ccedil;&atilde;o do contrato), firmado por Brito e Douglas para readequar as planilhas e incluir pre&ccedil;os novos. O aditivo foi firmado em 19 de setembro de 2006, durante a campanha eleitoral daquele ano, quando Marcelo Miranda disputava a reelei&ccedil;&atilde;o.<br />
<br />
<u><strong>Pagamento em duplicidade</strong></u><br />
<br />
Conforme a Coliga&ccedil;&atilde;o de Sandoval Cardoso, tr&ecirc;s anos depois, em 8 de maio de 2008, Brito Miranda assinou um apostilamento (documento para destinar mais recursos) do contrato. A obra, portanto, foi paga duas vezes, com recursos da Contribui&ccedil;&atilde;o de Interven&ccedil;&atilde;o no Dom&iacute;nio Econ&ocirc;mico (CIDE) para a conclus&atilde;o dos servi&ccedil;os.<br />
<br />
<u><strong>Documentos</strong></u><br />
<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/comprovante%20de%20pagamento%202006.jpg" style="width: 600px; height: 183px;" /><br />
(Comprovante de pagamento realizado &agrave; Construtora Terra Norte, em 2006, no valor de R$ 2,7 milh&otilde;es).</span><br />
<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/comrpovante%202008.jpg" style="width: 600px; height: 157px;" /><br />
<span style="font-size:14px;">(Comprovante de pagamento realizado &agrave; Construtora Terra Norte, em 2008, no valor de R$ 432 mil)</span><br />
<br />
<br />
<br />

Comentários pelo Facebook: