Seet
Sobral – 300×100

Claudivan Tavares recebe município com R$ 84 mil em cheques sem fundos

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">O atual prefeito de S&atilde;o Bento do Tocantins Claudivan Tavares (PTB), cidade localizada na regi&atilde;o norte do Estado a 540 km de Palmas,&nbsp; tem encontrado diversas dificuldades neste in&iacute;cio de gest&atilde;o principalmente pela falta de recursos em caixa, grande n&uacute;mero de d&iacute;vidas, atrasos na folha de pagamento de dezembro, 13&ordm; sal&aacute;rios e f&eacute;rias de servidores, al&eacute;m de quase R$ 84 mil reais em cheques sem fundos j&aacute; protestados.<br />
<br />
Conforme relat&oacute;rios repassados pelo Banco do Brasil, foram emitidos vinte cheques sem fundos pela ex-prefeita Lafaete Milhomem (PMDB), totalizando uma d&iacute;vida de R$ 83.268,40.&nbsp; Os valores assinados nas ordens de pagamentos variam de R$ 972,00 a R$ 14 mil. Outro documento emitido pela Caixa Econ&ocirc;mica Federal mostra que a prefeitura est&aacute; com anota&ccedil;&otilde;es no CADIN (Cadastro Informativo de cr&eacute;ditos n&atilde;o quitados do setor p&uacute;blico federal e/ou estadual), est&aacute; inadimplente desde outubro de 2011 com a PGFN (Procuradoria Geral da Fazenda Nacional), tendo ainda cinco anota&ccedil;&otilde;es de pend&ecirc;ncias financeiras (PEFIN/REFIN) com empresas de telefonia, sociedades empres&aacute;rias e pessoas f&iacute;sicas.<br />
<br />
Al&eacute;m disso, a ex-gest&atilde;o deixou uma rela&ccedil;&atilde;o de 36 contas banc&aacute;rias em opera&ccedil;&atilde;o no Banco do Brasil, mas em apenas quatro delas o saldo era superior a cem reais.&nbsp; Ainda esta semana, a Secret&aacute;ria de Finan&ccedil;as do Munic&iacute;pio Dorilene Ara&uacute;jo recebeu uma rela&ccedil;&atilde;o com outras 17 contas banc&aacute;rias, n&atilde;o informadas na rela&ccedil;&atilde;o deixada pela ex-prefeita.<br />
<br />
Os levantamentos tamb&eacute;m apontam que pelo menos 133 servidores p&uacute;blicos municipais ficaram sem receber o sal&aacute;rio de dezembro, totalizando uma d&iacute;vida de R$ 80.955,34. Os d&eacute;bitos referentes &agrave;s f&eacute;rias e 13&ordm; sal&aacute;rio ainda n&atilde;o foram contabilizadas por causa da aus&ecirc;ncia de documentos deixados pela ex-gestora, j&aacute; que todas as informa&ccedil;&otilde;es foram apagadas dos computadores da prefeitura no dia 29 de dezembro.<br />
<br />
Outros levantamentos mostram que a ex-prefeita Lafaete Milhomem (PMDB) deixou de repassar &agrave;s Institui&ccedil;&otilde;es Financeiras valores referentes aos empr&eacute;stimos consignados de pelo menos 50 servidores. Conforme observado nos documentos, o montante era deduzido dos sal&aacute;rios, mas n&atilde;o repassado ao Banco contratado, ocasionando restri&ccedil;&otilde;es nos nomes dos servidores. A d&iacute;vida total supera os R$ 30 mil referentes aos tr&ecirc;s &uacute;ltimos meses de 2012.<br />
<br />
Para ter no&ccedil;&atilde;o do tamanho das d&iacute;vidas basta compar&aacute;-las com os repasses do FPM (Fundo de Participa&ccedil;&atilde;o dos Munic&iacute;pios) que constituem a principal fonte de renda da Prefeitura. Em 2012, a m&eacute;dia mensal foi de apenas R$ 288 mil.<br />
<br />
O atual prefeito Claudivan Tavares (PTB) est&aacute; empenhado em regularizar a situa&ccedil;&atilde;o fiscal do munic&iacute;pio para que volte a receber conv&ecirc;nios dos governos federal e estadual. Outra preocupa&ccedil;&atilde;o &eacute; quitar a folha de pagamento em atraso.<br />
<br />
Conforme estimativas, as d&iacute;vidas do munic&iacute;pio podem ultrapassar a ordem de R$ 1 milh&atilde;o. Uma auditoria j&aacute; est&aacute; em andamento na prefeitura e o relat&oacute;rio ser&aacute; encaminhado ao Minist&eacute;rio P&uacute;blico Estadual.&nbsp;</span></div>

Comentários pelo Facebook: