Sobral – 300×100
Seet

Serasa registrou mais de 2 milhões de tentativas de golpe em 2012

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">Levantamento feito pela consultoria Serasa Experian mostra que, de janeiro a dezembro do ano passado, ocorreram 2,14 milh&otilde;es de tentativas de fraude por meio de viola&ccedil;&atilde;o de dados cadastrais, quando criminosos usaram a identidade das v&iacute;timas para dar golpes financeiros. Este n&uacute;mero foi superior ao de 2011 (1,96 milh&atilde;o de registros) e de 2010 (1,87 milh&atilde;o).<br />
<br />
De acordo com a pesquisa, a cada 14,8 segundos um consumidor brasileiro &eacute; v&iacute;tima de um criminoso que busca obter cr&eacute;dito com a certeza de n&atilde;o ter de pagar a conta ou com o objetivo de fechar um neg&oacute;cio com documentos falsos. De posse dos dados roubados, os golpistas agem, principalmente, na &aacute;rea de presta&ccedil;&atilde;o de servi&ccedil;os.<br />
<br />
O Indicador Serasa Experian apontou que, em 2012, a maioria das a&ccedil;&otilde;es ocorreu no setor de telefonia com 749.213 registros (35%). Depois vem o setor de servi&ccedil;os com 716.318 tentativas (33,4%). Nessa &aacute;rea os segmentos escolhidos pelos criminosos est&atilde;o construtoras, imobili&aacute;rias, pacotes tur&iacute;sticos e de servi&ccedil;os em sal&otilde;es de beleza.<br />
<br />
Em terceiro lugar est&atilde;o bancos e financeiras (cerca de 18%), varejo (aproximadamente 10%) e outros setores com 2%. Nos bancos, houve uma queda em compara&ccedil;&atilde;o a 2011, quando a taxa de ocorr&ecirc;ncias foi 26%. Na avalia&ccedil;&atilde;o t&eacute;cnica da Serasa, a redu&ccedil;&atilde;o na &aacute;rea financeira se deve &agrave; retra&ccedil;&atilde;o na procura por cr&eacute;dito e ao aumento em telefonia e servi&ccedil;os de internet.<br />
<br />
Segundo a Serasa, os golpistas costumam adquirir telefone para ter um endere&ccedil;o e comprovar resid&ecirc;ncia, por meio de correspond&ecirc;ncia, o que lhes permite abrir contas em bancos e ter acesso a tal&otilde;es de cheque, cart&otilde;es de cr&eacute;dito e empr&eacute;stimos.<br />
<br />
Entre as principais tentativas de fraudes est&atilde;o a solicita&ccedil;&atilde;o de cart&atilde;o de cr&eacute;dito com falsa identidade, financiamento de produtos eletroeletr&ocirc;nicos, compra de celulares e de autom&oacute;veis. Neste &uacute;ltimo caso, o criminoso pode fazer a &ldquo;lavagem de dinheiro&rdquo;. Para isso, conforme alerta a Serasa, paga as presta&ccedil;&otilde;es em dinheiro e depois vende o ve&iacute;culo &ldquo;esquentando&rdquo;o dinheiro.<br />
<br />
Como medida de precau&ccedil;&atilde;o, a Serasa recomenda alguns cuidados aos consumidores entre os quais:<br />
<br />
1) N&atilde;o fornecer seus dados pessoais para pessoas estranhas;<br />
<br />
2) n&atilde;o fornecer informa&ccedil;&otilde;es pessoais ou n&uacute;mero de documentos por telefone e ter mais cautela com promo&ccedil;&otilde;es e pesquisas;<br />
<br />
3) n&atilde;o perder de vista seus documentos de identifica&ccedil;&atilde;o quando solicitados para protocolos de ingresso em determinados ambientes ou quaisquer neg&oacute;cios;<br />
<br />
4) n&atilde;o informar n&uacute;meros dos seus documentos quando preencher cupons para participar de sorteios ou promo&ccedil;&otilde;es de lojas;<br />
<br />
5) n&atilde;o fazer cadastros em sites que n&atilde;o sejam de confian&ccedil;a;<br />
<br />
6) cuidado com sites que anunciam oferta de emprego ou promo&ccedil;&otilde;es;<br />
<br />
7) fique atento &agrave; dicas de seguran&ccedil;a da p&aacute;gina, por exemplo, como a presen&ccedil;a do cadeado de seguran&ccedil;a;<br />
<br />
8) cuidado com dados pessoais nas redes sociais que podem ajudar os golpistas a se passar por voc&ecirc;, usando informa&ccedil;&otilde;es pessoais, como, por exemplo, signo, modelo de carro, timepelo qual torce, nome do cachorro, etc;<br />
<br />
9) manter atualizado o antiv&iacute;rus do seu computador, diminuindo os riscos de ter os seus dados pessoais roubados por arquivos espi&otilde;es.<br />
<br />
A Serasa sugere que em caso de roubo, perda ou extravio de documentos, a v&iacute;tima deve cadastrar a ocorr&ecirc;ncia, gratuitamente, na base de dados da Serasa Experian, como meio de informar o ocorrido para o mercado. Na sequ&ecirc;ncia, o consumidor lesado deve fazer o boletim de ocorr&ecirc;ncias.</span></div>

Comentários pelo Facebook: