Seet
Sobral – 300×100

Reeducandos do Presídio Barra da Grota participam de curso ofertado pelo Senar

admin -

<span style="font-size:14px;">A segunda-feira, 10 de novembro, come&ccedil;ou diferente para 20 reeducandos da Unidade Prisional Barra da Grota, em Aragua&iacute;na (TO). At&eacute; sexta-feira, 14, eles participam de capacita&ccedil;&atilde;o em Olericultura B&aacute;sica promovida pelo Servi&ccedil;o Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR). O curso foi solicitado pelo juiz da 2&ordf; Vara Criminal e de Execu&ccedil;&otilde;es Penais de Aragua&iacute;na, Ant&ocirc;nio Dantas. &Eacute; a segunda vez que o SENAR viabiliza cursos em unidades prisionais do Tocantins, a primeira aconteceu em Araguacema no m&ecirc;s de setembro.<br />
<br />
O trabalho come&ccedil;ou cedo com a limpeza do local onde os canteiros ser&atilde;o constru&iacute;dos. Segundo o instrutor, Menfis Fernandes, o tamanho da &aacute;rea corresponde a um quarto de um hectare, aproximadamente 2.500 m&sup2;. O SENAR tamb&eacute;m disponibilizou todos os insumos e ferramentas para a execu&ccedil;&atilde;o das aulas pr&aacute;ticas. Menfis conta que ao longo dos dias os reeducandos v&atilde;o fazer a forma&ccedil;&atilde;o de canteiros, drenagem do solo, plantio e replantio. &ldquo;<em>S&atilde;o mais de 12 culturas que ser&atilde;o plantadas nesse espa&ccedil;o, entre folhosas, frutos, ra&iacute;zes e sementes, como alface, tomate, jil&oacute;, repolho, coentro, entre outros&rdquo;.</em><br />
<br />
A inten&ccedil;&atilde;o &eacute; que os alunos fa&ccedil;am uso dos alimentos plantados no local e permane&ccedil;am cuidando dos canteiros. Jailson dos Santos, de 24 anos, &eacute; um dos participantes do curso e est&aacute; na Unidade h&aacute; dois anos e dois meses. Para ele, a oportunidade de ocupar a mente e aprender um novo of&iacute;cio n&atilde;o pode passar em branco. <em>&ldquo;Eu quis fazer o curso. Estou aqui de livre e espont&acirc;nea vontade porque minha fam&iacute;lia mora na ro&ccedil;a e mexer com a terra &eacute; muito bom. N&oacute;s precisamos de mais iniciativas como essas para ampliar nossos horizontes&rdquo;.</em><br />
<br />
O diretor do pres&iacute;dio, Alysson Aguiar, afirmou que os reeducandos precisam ser reinseridos na sociedade com outro pensamento, tendo em vista uma profiss&atilde;o e capacita&ccedil;&atilde;o profissional. <em>&ldquo;Com certeza a inten&ccedil;&atilde;o maior &eacute; tirar um pouco a ociosidade deles e proporcionar novos pensamentos e est&iacute;mulos de trabalho e sociabilidade. Estaremos sempre buscando e ampliando as op&ccedil;&otilde;es de cursos nesse sentindo de produ&ccedil;&atilde;o e o SENAR tem se mostrado um grande parceiro.&rdquo;</em><br />
<br />
O curso – Al&eacute;m dos insumos e ferramentas, o SENAR tamb&eacute;m disponibiliza bon&eacute;s, botas e apostilas para a realiza&ccedil;&atilde;o do curso. A capacita&ccedil;&atilde;o em Olericultura B&aacute;sica tem carga hor&aacute;ria de 40 horas, sendo 20 de aulas pr&aacute;ticas e 20 de aulas te&oacute;ricas por cinco dias. Os reeducandos que optam pela participa&ccedil;&atilde;o nos cursos t&ecirc;m benef&iacute;cios como remiss&atilde;o da pena e a ressocializa&ccedil;&atilde;o.</span>

Comentários pelo Facebook: