Seet
Sobral – 300×100

Professor de Araguaína encara desafio de 23 km no Deserto do Atacama a 2.450 m de altitude

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
Um total de 23 km de prova no Deserto do Atacama, em San Pedro do Atacama, no Chile, a 2.450 metros de altitude. Esse &eacute; o desafio que o professor de Educa&ccedil;&atilde;o F&iacute;sica de Aragua&iacute;na (TO), Maur&iacute;cio Netto, enfrentar&aacute; no pr&oacute;ximo dia 7 de dezembro de 2014. <em>&ldquo;O clima &aacute;rido, a altitude e as dificuldades do percurso me motivam a participar da prova. Ser&atilde;o longos e desgastantes 23 km que estarei pronto para enfrentar&rdquo;</em>, afirmou Maur&iacute;cio.<br />
<br />
Para enfrentar o desafio, o araguainense j&aacute; vem mantendo uma rotina de prepara&ccedil;&atilde;o desde o m&ecirc;s de janeiro 2014. Em abril, Maur&iacute;cio Netto participou da Prova da Montanha (Trail Run) em Ushuaia, na Argentina, e desde ent&atilde;o intensificou os treinos para percorrer os 23 km no deserto.<br />
<br />
Outra prova, um tanto dif&iacute;cil como correr no deserto, j&aacute; est&aacute; prevista no calend&aacute;rio do esportista. Em maio de 2015 Maur&iacute;cio enfrentar&aacute; a neve na Argentina.<br />
<br />
<em>&ldquo;A busca por novos desafios me impulsiona para mostrar &agrave;s pessoas que podemos praticar esportes nos lugares mais inusitados e complexos. Para quem quer iniciar a pr&aacute;tica esportiva pode come&ccedil;ar na sua rua, no seu bairro, na sua cidade, e depois, com muito foco, expandir a experi&ecirc;ncia&rdquo;</em>, relatou Maur&iacute;cio Netto.<br />
<br />
Em Aragua&iacute;na, o meio maratonista em provas de montanhas se prepara em lugares que simulam, minimamente, os desafios que ser&atilde;o encarados no deserto. O corpo tamb&eacute;m deve ser bem hidratado e a alimenta&ccedil;&atilde;o balanceada, segundo Maur&iacute;cio.<br />
<br />
Al&eacute;m de educador f&iacute;sico, Maur&iacute;cio &eacute; especialista em Fisiologia do Exerc&iacute;cio, Personal Trainer e professor da rede estadual de ensino do Tocantins.<br />
<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/montanha.jpg" style="width: 548px; height: 222px;" /><br />
<u><strong>MONTAIN DO DESERTO DO ATACAMA</strong></u><br />
<br />
Cerca de 800 brasileiros aceitaram o desafio de enfrentar o deserto mais &aacute;rido do mundo. A primeira edi&ccedil;&atilde;o do Mountain Do Deserto do Atacama, no Chile, aconteceu em 2013 com atletas de v&aacute;rias idades. A corrida de montanha aconteceu em terrenos como salares, dunas, e at&eacute; pedras vulc&acirc;nicas, passando por grandes varia&ccedil;&otilde;es de temperatura e altitude. Esta &eacute; a segunda vez que a corrida teve uma vers&atilde;o internacional.<br />
<br />
Com tr&ecirc;s diferentes quilometragens, de 6, 23, e 42 km, o esp&iacute;rito de companheirismo auxilia muito em uma corrida cheia de dificuldades como essa. Em 2013, por exemplo, o primeiro e o segundo lugar da corrida de 42 km masculina conversaram durante o trajeto, incentivaram o concorrente a continuar, e compartilharam &aacute;gua e experi&ecirc;ncias nos postos de hidrata&ccedil;&atilde;o.<br />
<br />
O territ&oacute;rio &eacute; marcado por instabilidades, o que exige cautela dos atletas, que muitas vezes alternam sua velocidade entre corrida e caminhada, a fim de economizar a energia para trechos menos sinuosos. A 2.450m de altitude, os atletas necessitam do mesmo suporte que montanhistas em grandes escaladas. Em quilometragens espec&iacute;ficas, o staff da corrida oferece &aacute;gua, isot&ocirc;nico, refrigerante e at&eacute;, quando necess&aacute;rio, oxig&ecirc;nio suplementar.<br />
<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/IMG-20141201-WA0003.jpg" style="width: 600px; height: 398px;" /></span><br />

Comentários pelo Facebook: