Seet
Sobral – 300×100

Juíza suspende condenação da vereadora Terezona e determina retorno à Câmara de Araguaína

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Arnaldo Filho</u><br />
<em>Portal AF Not&iacute;cias</em><br />
<br />
A ju&iacute;za federal Denise Dias Dutra Drumond, do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO), concedeu decis&atilde;o liminar para suspender os efeitos da senten&ccedil;a que cassou o diploma da vereadora de Aragua&iacute;na, Terezinha Gomes da Silva (Terezona), e que decretou sua inelegibilidade por oito anos.<br />
<br />
A suspens&atilde;o da condena&ccedil;&atilde;o permanecer&aacute; at&eacute; o julgamento final do recurso, que ainda n&atilde;o tem data para acontecer. A ju&iacute;za tamb&eacute;m determinou seu retorno ao cargo de vereadora. A decis&atilde;o foi proferida no &uacute;ltimo dia 9 de dezembro e encaminhada para o Cart&oacute;rio Eleitoral de Aragua&iacute;na nesta quarta-feira (10) para cumprimento.<br />
<br />
Anteriormente, o Tribunal Regional Eleitoral havia negado recurso da vereadora sob a justificativa de que teria sido apresentado fora do prazo, no entanto, Terezona recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que entendeu o contr&aacute;rio.<br />
<br />
A vereadora teve seu diploma cassado pela Justi&ccedil;a Eleitoral, no dia 4 de dezembro de 2013, acusada de praticar abuso de poder e condutas proibidas nas elei&ccedil;&otilde;es municipais de 2012 ao agendar consultas e exames no Hospital Regional de Aragua&iacute;na (HRA), via gabinete, em suposta troca de votos.<br />
<br />
<u><strong>Fundamentos da decis&atilde;o</strong></u><br />
<br />
A ju&iacute;za do TRE-TO diz, em sua decis&atilde;o, que o depoimento de um policial federal &eacute; &ldquo;contradit&oacute;rio ao que est&aacute; gravado no v&iacute;deo&rdquo;. Antes, o policial disse que teria participado das dilig&ecirc;ncias investigativas na casa e no gabinete da vereadora, como, tamb&eacute;m, no momento no cumprimento da ordem de busca e apreens&atilde;o, o filho da vereadora Alberto Gomes da Silva (ex-diretor do HRA), estava no seu gabinete.<br />
<br />
Entretanto, o policial federal em seu depoimento afirmou que n&atilde;o participou da busca e apreens&atilde;o na casa da vereadora, tendo participado somente da dilig&ecirc;ncia realizada no gabinete. Afirmou, ainda, que no gabinete da C&acirc;mara de Vereadores estava a vereadora e o filho dela, sem especificar se seria o Alberto.<br />
<br />
Depoimentos das testemunhas que se encontravam no gabinete da vereadora, no dia da busca e apreens&atilde;o, foram no sentido de que n&atilde;o houve pedido de voto para a candidata em troca da suposta vantagem na realiza&ccedil;&atilde;o de exames m&eacute;dicos no Hospital Regional.<br />
<br />
A decis&atilde;o deve ser cumprida nesta quinta-feira (11). Terezona reassumir&aacute; a vaga atualmente ocupada pelo vereador Edmones Matos (Xeroso).</span>

Comentários pelo Facebook: