Sobral – 300×100
Seet

Delegado indicia seis detentos acusados de asfixiar e enforcar companheiro no Barra da Grota

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
A Pol&iacute;cia Civil concluiu o inqu&eacute;rito e indiciou seis detentos acusados de matar um companheiro de cela no Pres&iacute;dio Barra da Grota, em Aragua&iacute;na (TO). Wesley Pereira Soares foi encontrado morto no dia 25 de novembro pendurando pelo pesco&ccedil;o nas grades da cela.<br />
<br />
De acordo com o delegado titular da Delegacia de Homic&iacute;dios e Prote&ccedil;&atilde;o &agrave; Pessoa, Manoel Laeldo, foram indiciados os detentos Luciano Rocha Machado, vulgo Bab&atilde;o, Fauazze da Silva Barbosa, Alessandro Rodrigues de Castro, Vin&iacute;cius Dias da Silva, Sandro Morais Ferreira e Weigh Pedro da Silva. Todos s&atilde;o acusados de participar da morte, mediante enforcamento, de Wesley, conhecido como Di Manaus, condenado por furto.<br />
<br />
<em>&ldquo;Inicialmente falava-se em suic&iacute;dio, mas as investiga&ccedil;&otilde;es chegaram &agrave; conclus&atilde;o de que houve homic&iacute;dio qualificado&rdquo;</em>, disse o delegado. O trabalho da Pol&iacute;cia Civil contou com o apoio do Minist&eacute;rio P&uacute;blico Estadual.<br />
<br />
Ainda segundo o delegado, a v&iacute;tima foi executada por n&atilde;o querer fazer parte do grupo autointitulado Dzt (Dazantiga do Tocantins). E, como Wesley era ocupante da mesma sela e se recursou a integrar o grupo, enquanto dormia, ele foi surpreendido pelos demais. <em>&ldquo;Primeiro asfixiaram e depois o penduraram nas grades da cela</em>&rdquo;, contou o delegado.<br />
<br />
Um dos indiciados, Bab&atilde;o, diz ser o l&iacute;der da suposta fac&ccedil;&atilde;o. Segundo Manoel Laeldo, todos os indiciados cumprem pena por crime de roubo, latroc&iacute;nio e homic&iacute;dio, al&eacute;m de possu&iacute;rem &ldquo;largas fichas criminais&rdquo;. Eles viviam em celas separadas por dificuldades de conv&iacute;vio com outros presos.</span>

Comentários pelo Facebook: