Seet
Sobral – 300×100

Aspol-TO lamenta parcelamento de salário dos servidores e cobra diálogo de Marcelo Miranda

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<em>Portal AF Not&iacute;cias</em><br />
<br />
As associa&ccedil;&otilde;es e sindicatos que representam os servidores p&uacute;blicos do Estado do Tocantins reagiram negativamente &agrave; not&iacute;cia do parcelamento em quatro vezes da folha de pagamento de dezembro, anunciada no s&aacute;bado, dia 3. Por meio de nota oficial, Associa&ccedil;&atilde;o dos Policiais Civis do Estado do Tocantins (Aspol) lamentou a decis&atilde;o do novo governo e cobrou o compromisso assumido por Marcelo Miranda (PMDB) de convidar as entidades classistas para o di&aacute;logo.<br />
<br />
A Aspol ressalta que &eacute; &ldquo;direito constitucional do trabalhador receber seus vencimentos mensalmente&rdquo;. &ldquo;O fracionamento do sal&aacute;rio do funcionalismo p&uacute;blico tocantinense coloca em risco a qualidade de vida de milhares de fam&iacute;lias que dependem deste recurso para sobreviv&ecirc;ncia&rdquo;, acrescenta. Confira:<br />
<br />
<u><strong>Nota Oficial</strong></u><br />
<br />
<em>&quot;A Associa&ccedil;&atilde;o dos Policiais Civis do Estado do Tocantins (Aspol/TO) lamenta a decis&atilde;o do Governo do Estado em realizar o pagamento do sal&aacute;rios dos servidores p&uacute;blicos estaduais, referente ao m&ecirc;s de dezembro, em quatro parcelas.<br />
<br />
A entidade cobra, tamb&eacute;m, o compromisso firmado pelo Governador Marcelo Miranda de convocar as entidades classistas para debater mecanismos que garantam o cumprimento de conquistas dos servidores p&uacute;blicos estaduais.<br />
<br />
Somente com o di&aacute;logo democr&aacute;tico e aberto entre o Poder P&uacute;blico Estadual e as entidades classistas &eacute; que o funcionalismo p&uacute;blico poder&aacute; contribuir para garantir o pagamento do sal&aacute;rio de milhares de homens e mulheres tocantinenses.<br />
<br />
Independente de diferen&ccedil;as partid&aacute;rias, ideol&oacute;gicas ou mesmo de projeto de governo, &eacute; direito constitucional do trabalhador receber seus vencimentos mensalmente. O fracionamento do sal&aacute;rio do funcionalismo p&uacute;blico tocantinense coloca em risco a qualidade de vida de milhares de fam&iacute;lias que dependem deste recurso para sobreviv&ecirc;ncia.<br />
<br />
Palmas, 03 de janeiro de 2015&quot;</em></span>

Comentários pelo Facebook: