Seet
Sobral – 300×100

Diminui número de famílias desabrigadas em Araguaína, segundo Defesa Civil

admin -

<span style="font-size:14px;">Apesar das fortes chuvas que t&ecirc;m ca&iacute;do sobre Aragua&iacute;na, o n&uacute;mero de fam&iacute;lias atingidas pelos alagamentos t&ecirc;m diminu&iacute;do nos anos. Nos per&iacute;odos chuvosos de 2012 a 2014, 90 fam&iacute;lias ficaram desabrigadas e 10 casas desabaram. De setembro do ano passado at&eacute; in&iacute;cio de 2015, as poucas fam&iacute;lias que ainda est&atilde;o sofrendo com enchentes t&ecirc;m sido monitoradas e atendidas pela Prefeitura.<br />
<br />
A diminui&ccedil;&atilde;o no n&uacute;mero de atingidos por enchentes se deve aos cerca de 10 km de drenagem constru&iacute;dos nos &uacute;ltimos dois anos e ao encaminhamento de 145 fam&iacute;lias em situa&ccedil;&atilde;o de risco para o &quot;Programa Casa para Quem Precisa&quot;, em parceria com o Governo Federal.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">Agentes da Defesa Civil Municipal e assistentes sociais t&ecirc;m</span><span style="font-size:14px;">&nbsp;monitorado constantemente as 10 zonas de risco da cidade.<br />
<br />
Sempre em alerta, a Defesa Civil acompanhou as fam&iacute;lias atingidas nos setores Monte Sinai e Itapu&atilde; no &uacute;ltimo final de semana. No Monte Sinai, quatro casas foram invadidas pelas fortes &aacute;guas ap&oacute;s a queda dos muros nas ruas 16 e 17 e Avenida Brasil.<br />
<br />
<em>&ldquo;Foram registrados danos materiais. N&atilde;o tivemos ningu&eacute;m ferido ou desabrigado&rdquo;</em>, declarou o secret&aacute;rio da Defesa Civil, Ricardo Isa&iacute;as Pereira.<br />
<br />
Na Rua 14 de Dezembro, no Setor Itapu&atilde;, o muro de uma resid&ecirc;ncia tamb&eacute;m caiu ap&oacute;s a chuva. A casa fica &agrave;s margens do c&oacute;rrego Neblina e est&aacute; desabitada, al&eacute;m de outras duas no mesmo lote. Uma terceira casa est&aacute; habitada, por&eacute;m a Defesa Civil Municipal j&aacute; recomendou que a fam&iacute;lia desocupe a &aacute;rea, considerada de risco.<br />
<br />
<em>&ldquo;A fam&iacute;lia nos sinalizou que vai deixar a &aacute;rea. Estamos acompanhando&rdquo;,</em> assegurou o secret&aacute;rio, reafirmando que a entidade continua monitorando Aragua&iacute;na 24 horas por dia e est&aacute; dispon&iacute;vel atrav&eacute;s do telefone 199.<br />
<br />
Na tarde do domingo, 25 de janeiro, choveu 35 mil&iacute;metros na cidade, volume maior que as chuvas nos dias comuns. &ldquo;Devido ao monitoramento, no domingo encaminhamos algumas fam&iacute;lias para locais seguros, como a casa de parentes&rdquo;, disse.<br />
<br />
<u><strong>Assist&ecirc;ncia</strong></u><br />
<br />
Em casos como o do Monte Sinai, assistentes sociais v&atilde;o ao local para visitar os moradores e fazer o levantamento dos preju&iacute;zos e das necessidades das fam&iacute;lias. Ap&oacute;s o levantamento e caso haja necessidade, a Prefeitura disponibiliza cestas b&aacute;sicas, aten&ccedil;&atilde;o psicol&oacute;gica, roupas e cal&ccedil;ados e, possivelmente, at&eacute; ajuda na reconstru&ccedil;&atilde;o de im&oacute;veis.<br />
<br />
No Setor Monte Sinai, para conter a enxurrada, a Prefeitura j&aacute; iniciou um trabalho paliativo, com barreiras de conten&ccedil;&atilde;o.</span>

Comentários pelo Facebook: