Seet
Sobral – 300×100

Vigilância Sanitária apreende mais de 560 óculos de grau em Araguaína

admin -

<span style="font-size:14px;">Ap&oacute;s den&uacute;ncia, a Vigil&acirc;ncia Sanit&aacute;ria de Aragua&iacute;na apreendeu de forma cautelar 564 &oacute;culos de grau em uma esp&eacute;cie de cl&iacute;nica clandestina, prontos para serem comercializados, no Povoado Barra da Grota. A opera&ccedil;&atilde;o aconteceu na &uacute;ltima sexta, 27, por volta das 11h30, quando a equipe de fiscais constatou em um anexo da igreja do bairro que estava acontecendo a venda irregular dos produtos sem licen&ccedil;a.<br />
<br />
Durante a visita da equipe ao local, verificou-se tratar de uma &oacute;tica de Imperatriz (MA), que vendia e montava os &oacute;culos ali mesmo, atuando sem licen&ccedil;a expedida pela Vigil&acirc;ncia Sanit&aacute;ria. No momento da inspe&ccedil;&atilde;o n&atilde;o foi flagrada a ocorr&ecirc;ncia de consulta m&eacute;dica.<br />
<br />
Sem o documento para operar em m&atilde;os, foram apreendidos cerca de R$ 15 mil em produtos: &oacute;culos com lentes de grau prontas, arma&ccedil;&otilde;es de &oacute;culos, espelhos e impressos da &oacute;tica que constavam os dados cadastrais dos clientes, informa&ccedil;&otilde;es do tipo de lente e grau de vis&atilde;o a ser corrigido. &ldquo;Recolhemos todos os produtos e notificamos os respons&aacute;veis para que possam se legalizar&rdquo;, afirmou o coordenador do &oacute;rg&atilde;o, Cl&aacute;udio Aguiar.<br />
<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/Credito%20Vigil%E2ncia%20Sanit%E1ria%20(R94B).jpg" style="width: 600px; height: 371px;" /><br />
<strong><u>Orienta&ccedil;&otilde;es</u></strong><br />
<br />
Cl&aacute;udio alertou a popula&ccedil;&atilde;o quanto ao uso de produtos que afetam diretamente a vis&atilde;o. &ldquo;Produtos dessa natureza merecem um cuidado muito especial, ainda mais se tratando de &oacute;culos de grau. Isso &eacute; muito s&eacute;rio. As pessoas precisam de orienta&ccedil;&atilde;o m&eacute;dica e carecem de consci&ecirc;ncia em rela&ccedil;&atilde;o a esse tipo de produto, em especial aqueles destinados &agrave;s crian&ccedil;as, pois h&aacute; s&eacute;rias consequ&ecirc;ncias que podem ser irrevers&iacute;veis&rdquo;, destacou ele.<br />
<br />
Segundo o coordenador, para que possa atuar, a cl&iacute;nica deve se regularizar junto &agrave; Secretaria Municipal da Fazenda e Vigil&acirc;ncia Sanit&aacute;ria para obter as licen&ccedil;as de funcionamento.<br />
<br />
<u><strong>Relat&oacute;rio</strong></u><br />
<br />
De acordo com o coordenador, um relat&oacute;rio detalhado deve ser encaminhado para o Conselho Regional de Medicina, para que sejam feitas as investiga&ccedil;&otilde;es em rela&ccedil;&atilde;o ao suposto oftalmologista que atuava no local e que j&aacute; tinha agendamento para estar atendendo em outra igreja no Setor Aragua&iacute;na Sul.<br />
<br />
&ldquo;Agora queremos saber onde acontecem esses tipos de consultas oftalmol&oacute;gicas, juntamente com a venda de produtos &oacute;ticos e com qual periodicidade, pois ningu&eacute;m pode comercializar esse tipo de produto sem a licen&ccedil;a do Munic&iacute;pio&rdquo;, destacou Aguiar, afirmando que a empresa tem 15 dias &uacute;teis para apresentar a defesa contra o auto de infra&ccedil;&atilde;o aplicado ao respons&aacute;vel e, caso seja comprovada a legalidade dos produtos, eles sejam devolvidos ao estabelecimento no Maranh&atilde;o.<br />
<br />
&ldquo;Quando tiramos de circula&ccedil;&atilde;o produtos inadequados &agrave; sa&uacute;de e orientamos os comerciantes para proteger a sa&uacute;de da popula&ccedil;&atilde;o &eacute; que observamos o &ecirc;xito de nosso trabalho&rdquo;, afirmou.<br />
<br />
<u><strong>A&ccedil;&otilde;es</strong></u><br />
<br />
Institui&ccedil;&otilde;es como a&ccedil;ougues, cl&iacute;nicas, hospitais, farm&aacute;cias, sal&otilde;es de beleza, peixarias e supermercados s&atilde;o constantemente vistoriados pelos fiscais da Vigil&acirc;ncia Sanit&aacute;ria, que realizam inspe&ccedil;&otilde;es sanit&aacute;rias em mais de 3 mil estabelecimentos comerciais por ano em Aragua&iacute;na.<br />
<br />
Do in&iacute;cio do ano at&eacute; agora foram visitados pontos comerciais em feiras livres que vendem carnes: su&iacute;nas, aves, peixes e caprinos. Plant&otilde;es foram montados para orientar os comerciantes em rela&ccedil;&atilde;o ao uso de gelo e a manuten&ccedil;&atilde;o da limpeza no ambiente. Outra a&ccedil;&atilde;o recente foi o plant&atilde;o realizado durante as quatro noites do Carnaval, para orientar os comerciantes em rela&ccedil;&atilde;o &agrave; vestimenta e higiene pessoal, armazenamento, validade e acondicionamento de produtos, a fim de evitar a contamina&ccedil;&atilde;o onde h&aacute; grande fluxo de pessoas.<br />
<br />
As pr&oacute;ximas a&ccedil;&otilde;es deste ano acontecem durante o per&iacute;odo da Semana Santa, a Exposi&ccedil;&atilde;o Agropecu&aacute;ria de Aragua&iacute;na (Expoara) e o S&atilde;o Jo&atilde;o do Cerrado.</span>

Comentários pelo Facebook: