Seet
Sobral – 300×100

Quebra do monopólio não acontece no prazo fixado

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
Os servi&ccedil;os do transporte p&uacute;blico complementar de Aragua&iacute;na (TO) estavam previstos para come&ccedil;ar no &uacute;ltimo domingo, 1&ordm; de mar&ccedil;o. No entanto, a Cooperativa dos Trabalhadores Aut&ocirc;nomos de Passageiros do Munic&iacute;pio de Aragua&iacute;na (Cooperlota) n&atilde;o conseguiu cumprir o cronograma dentro do prazo estabelecido alegando atraso na entrega dos ve&iacute;culos.<br />
<br />
O contrato com a Prefeitura de Aragua&iacute;na foi assinado no dia 17 de outubro de 2014 e previa um prazo de at&eacute; 90 dias para que a frota entrasse em circula&ccedil;&atilde;o, quebrando o monop&oacute;lio de mais de 30 anos da Via&ccedil;&atilde;o Lontra.<br />
<br />
O prazo de vig&ecirc;ncia do contrato de permiss&atilde;o ser&aacute; de 7 anos, podendo ser prorrogadol por igual per&iacute;odo. Ser&atilde;o nove linhas urbanas e duas linhas rurais, cuja tarifa n&atilde;o exceder&aacute; R$ 2,35 por trecho.<br />
<br />
Durante a assinatura do contrato, a prefeitura divulgou que a cooperativa tinha uma frota inicial de 45 ve&iacute;culos, incluindo uma reserva t&eacute;cnica para atender necessidade urgentes.<br />
<br />
<u><strong>Prefeitura se manifesta</strong></u><br />
<br />
Nesta segunda-feira (2), a Prefeitura informou que j&aacute; notificou a Cooperlota, no dia 25 de fevereiro, para que apresentasse &agrave; Ag&ecirc;ncia Municipal de Transporte e Tr&acirc;nsito (AMTT), em 24 horas, as documenta&ccedil;&otilde;es, cronogramas e as reais condi&ccedil;&otilde;es e adequa&ccedil;&otilde;es das instala&ccedil;&otilde;es da garagem, bem como aquisi&ccedil;&otilde;es dos ve&iacute;culos e as instala&ccedil;&otilde;es dos pontos de &ocirc;nibus.<br />
<br />
No dia 26, em resposta &agrave; notifica&ccedil;&atilde;o, o presidente da Cooperlota justificou que as f&eacute;rias coletivas concedidas aos oper&aacute;rios das ind&uacute;strias dos &ocirc;nibus, localizada em Caxias do Sul (RS) inviabilizaria a continuidade da montagem e, por consequ&ecirc;ncia, o in&iacute;cio da circula&ccedil;&atilde;o da nova frota na data prevista em Aragua&iacute;na.<br />
<br />
Apesar da justificativa, a AMTT considerou que o prazo de 90 dias, j&aacute; concedidos, foi suficiente para que a cooperativa iniciasse os servi&ccedil;os. A entidade foi advertida por escrito para que apresente solu&ccedil;&otilde;es imediatas para a execu&ccedil;&atilde;o do transporte p&uacute;blico complementar, sob pena de ser rescindido o contrato, segundo a Prefeitura.<br />
<br />
A Prefeitura disse ainda que somente ap&oacute;s ouvir a Cooperlota, a AMTT dever&aacute; reavaliar a situa&ccedil;&atilde;o.<br />
<br />
<u><strong>J&aacute; tem 10 &ocirc;nibus</strong></u><br />
<br />
A Cooperlota j&aacute; recebeu uma frota composta por dez micro-&ocirc;nibus com sistema integrado de bilhetagem eletr&ocirc;nica, adaptados a portadores de necessidades especiais e ar-condicionado, de um total previsto de 50 ve&iacute;culos.<br />
<br />
Os &ocirc;nibus estavam no p&aacute;tio do Sindicato Rural de Aragua&iacute;na, mas ap&oacute;s tr&ecirc;s &ocirc;nibus serem incendiados na noite desta segunda-feira (2), os ve&iacute;culos foram levados para o p&aacute;tio do Batalh&atilde;o da Pol&iacute;cia Militar (2&ordm; BPM), por medida de seguran&ccedil;a.</span>

Comentários pelo Facebook: