Seet
Sobral – 300×100

Associação da Bahia apresenta propostas para futura agência de desenvolvimento do MAPITOBA

admin -

<span style="font-size:14px;">Em busca de mais competitividade para o agroneg&oacute;cio do Oeste da Bahia, o presidente da Aiba, J&uacute;lio C&eacute;zar Busato, participou de uma reuni&atilde;o com a ministra da Agricultura, K&aacute;tia Abreu, realizada no dia 16 de mar&ccedil;o, em Bras&iacute;lia. Ele apresentou as contribui&ccedil;&otilde;es da regi&atilde;o para a formata&ccedil;&atilde;o da futura ag&ecirc;ncia de desenvolvimento do Matopiba (formado por partes do Maranh&atilde;o, Tocantins, Piau&iacute; e Bahia). Tamb&eacute;m participaram da reuni&atilde;o, os secret&aacute;rios estaduais da Agricultura e da Ind&uacute;stria e Com&eacute;rcio dos quatro estados, al&eacute;m de outros representantes da iniciativa privada e das institui&ccedil;&otilde;es de pesquisa e de ensino.<br />
<br />
<em>&ldquo;Hoje, o agricultor baiano &eacute; o que mais produz, mais gasta e menos ganha. Precisamos mudar esta equa&ccedil;&atilde;o e isto se muda com a implanta&ccedil;&atilde;o de ferrovias como a Fiol, com a reativa&ccedil;&atilde;o da Hidrovia do S&atilde;o Francisco, com a recupera&ccedil;&atilde;o e amplia&ccedil;&atilde;o da rede de estradas estaduais e federais e com uma estrutura portu&aacute;ria eficiente. Tamb&eacute;m precisamos da amplia&ccedil;&atilde;o da rede de energia el&eacute;trica no oeste baiano para aumentar a quantidade de piv&ocirc;s de irriga&ccedil;&atilde;o e atrair agroind&uacute;strias para a regi&atilde;o&rdquo;</em>, disse Busato.<br />
<br />
Para o secret&aacute;rio da Agricultura da Bahia, Paulo C&acirc;mera, a ag&ecirc;ncia a ser implantada deve pensar o desenvolvimento da regi&atilde;o como um todo. <em>&ldquo;O pilar central ser&aacute; a agricultura, mas entendemos que &eacute; preciso abranger as quest&otilde;es sociais, infraestrutura, pensando na concep&ccedil;&atilde;o de desenvolvimento da regi&atilde;o como um todo</em>&rdquo;, disse C&acirc;mera.<br />
<br />
No estado da Bahia, o munic&iacute;pio de Lu&iacute;s Eduardo Magalh&atilde;es &eacute; um exemplo do que o agroneg&oacute;cio pode fazer por toda uma regi&atilde;o. Em apenas 15 anos, deixou de ser uma parada na estrada onde existia um posto de gasolina, para ser um munic&iacute;pio emancipado com mais de 76 mil habitantes e ter a maior arrecada&ccedil;&atilde;o do Oeste baiano. <em>&ldquo;Isso &eacute; reflexo dos empregos gerados nas fazendas. Se existe trabalho, existe renda e o com&eacute;rcio &eacute; movimentado e o n&iacute;vel de escolaridade e a qualidade de vida tamb&eacute;m melhoram</em>&rdquo;, explicou Busato, acrescentando que &ldquo;&eacute; preciso focar na agricultura e na agroind&uacute;stria, que o restante ir&aacute; acontecer por consequ&ecirc;ncia&rdquo;.<br />
<br />
A ministra K&aacute;tia Abreu defendeu a participa&ccedil;&atilde;o da iniciativa privada. <em>&ldquo;A experi&ecirc;ncia nos mostra que a mola propulsora de tudo s&atilde;o os empres&aacute;rios. A ag&ecirc;ncia ter&aacute; que trabalhar ao lado daqueles que gerar&atilde;o emprego</em>&rdquo;, disse.<br />
<br />
A ag&ecirc;ncia de desenvolvimento dever&aacute; promover a inova&ccedil;&atilde;o, pesquisa, agricultura de precis&atilde;o e assist&ecirc;ncia t&eacute;cnica do Matopiba. Os secret&aacute;rios poder&atilde;o enviar suas sugest&otilde;es at&eacute; 26 de mar&ccedil;o.</span>

Comentários pelo Facebook: