Seet
Sobral – 300×100

Mais de 4,4 mil estudantes fazem estágios e especializações nos hospitais do Tocantins

admin -

<span style="font-size:14px;">Em todo o Tocantins h&aacute; 4.435 estudantes fazendo est&aacute;gio, especializa&ccedil;&atilde;o ou resid&ecirc;ncia m&eacute;dica nos hospitais p&uacute;blicos do Tocantins e unidades de sa&uacute;de. Destes, 3.381 s&atilde;o estudantes de gradua&ccedil;&atilde;o e 897 estudantes de cursos t&eacute;cnicos fazendo est&aacute;gios, 76 s&atilde;o profissionais da sa&uacute;de cursando especializa&ccedil;&atilde;o, e 81 s&atilde;o m&eacute;dicos fazendo resid&ecirc;ncia, al&eacute;m dos internos dos cursos de Medicina das universidades tocantinenses.<br />
<br />
A diretora do Hospital Geral de Palmas (HGP), Renata Nogueira Duran, conta que somente na institui&ccedil;&atilde;o h&aacute; 805 estudantes de 10 institui&ccedil;&otilde;es de ensino. Entre eles, est&atilde;o 671 estagi&aacute;rios, 94 internos e 42 residentes. <em>&ldquo;O Hospital Geral de Palmas tem como miss&atilde;o tr&ecirc;s pilares: atendimento de qualidade, responsabilidade social e gera&ccedil;&atilde;o do conhecimento, e todos os estudantes [estagi&aacute;rios, internos e residentes] participam dessa proposta. H&aacute; alguns anos, o hospital vem convivendo com esse grupo e isso agregou muito ao trabalho desenvolvido&rdquo;</em>, ressalta.<br />
<br />
A respons&aacute;vel pelo N&uacute;cleo de Educa&ccedil;&atilde;o Permanente do HGP, Ana Carolina Almeida, explica que o n&uacute;cleo &eacute; o respons&aacute;vel pela forma&ccedil;&atilde;o dos estudantes no campo do est&aacute;gio, internato e resid&ecirc;ncia m&eacute;dica. <em>&ldquo;O HGP recebe estagi&aacute;rios de institui&ccedil;&otilde;es de ensino de Palmas e oferece at&eacute; 1.200 vagas distribu&iacute;das em internato e resid&ecirc;ncia m&eacute;dica e est&aacute;gios nas &aacute;reas de enfermagem, fisioterapia, nutri&ccedil;&atilde;o, odontologia, farm&aacute;cia, psicologia, t&eacute;cnico de instrumenta&ccedil;&atilde;o cir&uacute;rgica, t&eacute;cnico em enfermagem e t&eacute;cnico de radiologia&rdquo;</em>, exemplifica.<br />
<br />
<u><strong>HGP e ensino</strong></u><br />
<br />
O preceptor do internato de cl&iacute;nica m&eacute;dica e supervisor da resid&ecirc;ncia de reumatologia, doutor Fernando Lira, fala da import&acirc;ncia do Hospital Geral de Palmas no contexto da forma&ccedil;&atilde;o dos profissionais de sa&uacute;de do Estado. <em>&ldquo;As universidades t&ecirc;m a necessidade de proporcionar aos estudantes a pr&aacute;tica em um hospital com um perfil deste [HGP] e que fa&ccedil;a a vez de um hospital-escola. Sem isso, inviabilizaria os cursos, pois a segunda parte, a pr&aacute;tica, &eacute; t&atilde;o importante quanto a te&oacute;rica&rdquo;</em>, afirma.<br />
<br />
Fernando Lira explica que &eacute; exatamente na parte pr&aacute;tica que os alunos t&ecirc;m o contato com o dia a dia do hospital, dos pacientes e suas doen&ccedil;as, do manejo delas, das discuss&otilde;es cl&iacute;nicas, dos ambulat&oacute;rios e das cirurgias. <em>&ldquo;&Eacute; esse ros&aacute;rio de informa&ccedil;&otilde;es e procedimentos que habilita o interno, enquanto m&eacute;dico, e o residente, enquanto especialista, para o desempenho da sua profiss&atilde;o&rdquo;</em>, destaca.<br />
<br />
O supervisor ressalta que o trabalho dos internos e residentes no hospital repercute em melhoria da qualidade dos servi&ccedil;os prestados &agrave; popula&ccedil;&atilde;o tocantinense, pois o paciente &eacute; melhor visto e examinado, j&aacute; que h&aacute; internos e seus preceptores, residentes e seus supervisores, cuidando do paciente.<em> &ldquo;Os residentes e internos fazem &lsquo;buscativas&rsquo;, trazem esses pacientes, fazem avalia&ccedil;&atilde;o cl&iacute;nica mais detalhada e otimizam o nosso tempo, e com isso ampliamos as ofertas de servi&ccedil;o e atendemos melhor a comunidade</em>&rdquo;, explica.<br />
<br />
<u><strong>Resid&ecirc;ncia M&eacute;dica HGP</strong></u><br />
<br />
O coordenador da Comiss&atilde;o de Resid&ecirc;ncia M&eacute;dica, doutor It&aacute;gores Hoffman I, conta que o programa de resid&ecirc;ncia m&eacute;dica no HGP surgiu tanto da necessidade dos m&eacute;dicos formados pelo curso de Medicina da Universidade Federal do Tocantins (UFT) se especializarem, quanto do Estado do Tocantins de oferecer o programa.<br />
<br />
&ldquo;<em>A Universidade tinha a necessidade acad&ecirc;mica e o Estado, atrav&eacute;s das suas unidades hospitalares, tinha a diversidade de casos e os preceptores. Com isso, n&oacute;s fizemos esse projeto de parceria entre Universidade Federal do Tocantins e Secretaria da Sa&uacute;de e assim criamos os primeiros programas de resid&ecirc;ncia m&eacute;dica no Estado, que hoje, totalizam 42 vagas s&oacute; na cidade de Palmas</em>&rdquo;, relata.<br />
<br />
O coordenador considera que quem mais ganha com o programa de resid&ecirc;ncia m&eacute;dica &eacute; a popula&ccedil;&atilde;o tocantinense, pois al&eacute;m de proporcionar forma&ccedil;&atilde;o ao m&eacute;dico, fixa os m&eacute;dicos especializados no Estado e oferece &agrave; popula&ccedil;&atilde;o os profissionais capacitados.</span>

Comentários pelo Facebook: