Seet
Sobral – 300×100

Sinpol desafia Governo a mostrar unidades em funcionamento; SSP responde: Palmas, Araguaína e Gurupi

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) rebateu a informa&ccedil;&atilde;o da Secretaria de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica (SSP) de que os grevistas estariam retornando ao trabalho ap&oacute;s o enfraquecimento do movimento. Conforme o Sinpol, a&nbsp;ades&atilde;o a greve segue 100% com todos os servi&ccedil;os paralisados.<br />
<br />
O Sindicato ainda desafiou a Secretaria de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica a mostrar unidades da Pol&iacute;cia Civil no Estado que estejam em funcionamento. <em>&ldquo;Estamos numa luta dura por uma conquista hist&oacute;rica que nos foi arrancada por decreto. N&atilde;o &eacute; com mentiras, press&otilde;es e sem negocia&ccedil;&atilde;o que a SSP vai parar com a nossa greve&rdquo;</em>, afirmou o presidente do Sinpol, Moisemar Marinho.<br />
<br />
Nesta quinta-feira (26), a SSP informou &agrave; imprensa que 600 policiais de todo o Estado j&aacute; tinham comunicado o retorno ao trabalho. J&aacute; o Sindicato diz que a nota n&atilde;o contava com qualquer foto, v&iacute;deo ou imagem, e nem sequer relacionou a unidade da Pol&iacute;cia Civil que est&aacute; em funcionamento. <em>&ldquo;Tentar plantar not&iacute;cias falsas na imprensa n&atilde;o &eacute; uma postura correta de qualquer gestor. O que a SSP est&aacute; fazendo &eacute; acirrar os &acirc;nimos dos policiais&rdquo;</em>, explicou Moisemar Marinho.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;"><strong><u>Confira nova nota da Secretaria de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica</u></strong><br />
<br />
<em>&quot;NOTA &Agrave; IMPRENSA<br />
<br />
A Secretaria da Seguran&ccedil;a P&uacute;blica (SSP) informa que, a partir de levantamentos parciais sobre o comunicado de retorno ao trabalho dos policiais que se encontravam em situa&ccedil;&atilde;o de insurg&ecirc;ncia, at&eacute; &agrave;s 11 horas desta sexta-feira, dia 27, cerca de 600 policiais civis j&aacute; fizeram este comunicado.<br />
<br />
Informa tamb&eacute;m que, com o retorno desses policiais ao trabalho, est&atilde;o em atividade, em Palmas, os 1&deg;, 2&deg;, 5&deg; e 6&deg; Distritos Policiais; o Plant&atilde;o Centro e Plant&atilde;o Sul e as delegacias especializadas. No interior do Estado, retornaram o Plant&atilde;o de Aragua&iacute;na e o Plant&atilde;o de Gurupi.<br />
<br />
&Eacute; importante ressaltar que os servi&ccedil;os do Instituto M&eacute;dico Legal (IML), Instituto de Gen&eacute;tica Forense (IGF) e Instituto de Criminal&iacute;stica (IC) em nenhum momento tiveram suas atividades paralisadas.<br />
<br />
A SSP ressalta que os dados ainda est&atilde;o em fase de consolida&ccedil;&atilde;o, devendo ser conclu&iacute;dos at&eacute; o final da tarde desta sexta-feira.7<br />
<br />
Secretaria de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica&quot;</em></span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;"><img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/plantao%20gurupi%20(2).jpg" style="width: 600px; height: 338px;" /><em>(Plant&atilde;o em Gurupi – Policiais Civis seguem de bra&ccedil;os cruzados).</em></span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;"><u><strong>Movimento</strong></u><br />
<br />
Iniciada no dia 25 de fevereiro, a greve da Pol&iacute;cia Civil reivindica uma proposta concreta do governo para o cumprimento da lei 2.851/2014, que teve seus efeitos suspensos por decreto do governador Marcelo Miranda.<br />
<br />
A lei regulamenta conquista hist&oacute;rica dos policiais civis, com o alinhamento da carreira de cerca de 1,3 mil profissionais. O alinhamento foi promovido pelo pr&oacute;prio governador Marcelo Miranda em 2007, na sua pen&uacute;ltima gest&atilde;o.<br />
<br />
Por&eacute;m, a regulamenta&ccedil;&atilde;o da conquista se arrastou por todos os governos seguintes e s&oacute; veio a ocorrer em abril do ano passado, para ter efeitos financeiros parcelados em quatro vezes a partir de 2015.</span><br />

Comentários pelo Facebook: