Sobral – 300×100
Seet

Manifestantes voltam às ruas em Palmas e Araguaína pedindo impeachment e basta à corrupção

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
A nova onda de protestos contra o governo da presidente Dilma Roussef e o Partido dos Trabalhadores (PT) contou com a participa&ccedil;&atilde;o de manifestantes nas duas principais cidades do Tocantins, embora em n&uacute;mero bem menor do que o registrado em 15 de mar&ccedil;o, quando cerca de 11 mil pessoas sa&iacute;ram &agrave;s ruas.<br />
<br />
Em Aragua&iacute;na, norte do Estado, um pequeno grupo de manifestantes, cerca de 50, segundo os organizadores, come&ccedil;ou se reunir por volta das 15 horas na Pra&ccedil;a do Galo, Setor Entroncamento. De l&aacute; sa&iacute;ram em passeata pela Avenida C&ocirc;nego Jo&atilde;o Lima e terminou por volta das 17h30. Na manifesta&ccedil;&atilde;o anterior, cerca de 500 manifestantes sa&iacute;ram as ruas.<br />
<br />
A Pol&iacute;cia Militar disse que n&atilde;o foi avisada do protesto e que n&atilde;o acompanhou a movimenta&ccedil;&atilde;o dos manifestantes.<br />
<br />
O protesto foi organizado pela ONG SOS Prote&ccedil;&atilde;o e Liberdade.&nbsp;Segundo o presidente da entidade, Radmark Saraiva, os manifestantes pediram o impeachment da presidente Dilma Rousseff e o fim da corrup&ccedil;&atilde;o. <em>&quot;Obrigado as 50 pessoas que foram &agrave;s ruas representar os que n&atilde;o puderam ir em defesa do impeachment da presidente Dilma&quot;</em>, disse.<br />
<br />
Na capital Palmas, a concentra&ccedil;&atilde;o come&ccedil;ou por volta das 16h, na Pra&ccedil;a dos Girass&oacute;is. Segundo a organiza&ccedil;&atilde;o, cerca de 1,2 mil pessoas compareceram. J&aacute; de acordo com a Pol&iacute;cia Militar, 350 manifestantes estiveram no local. No ato de 15 de mar&ccedil;o, cerca de 10 pessoas marcaram presen&ccedil;a.</span>

Comentários pelo Facebook: