Seet
Sobral – 300×100

Laboratório Contra Lavagem de Dinheiro já identificou quase R$ 14 milhões suspeitos

admin -

<span style="font-size:14px;">Ap&oacute;s um ano de implanta&ccedil;&atilde;o do Laborat&oacute;rio de Tecnologia Contra Lavagem de Dinheiro (LAB-LD) do Minist&eacute;rio P&uacute;blico Estadual (MPE) foram identificados cerca de R$ 14 milh&otilde;es de reais com ind&iacute;cios de ilicitude. O Procurador-Geral de Justi&ccedil;a, Clenan Renaut de Melo Pereira, comentou o balan&ccedil;o da atua&ccedil;&atilde;o apresentado pela coordenadora do LAB-LD, Promotora de Justi&ccedil;a K&aacute;tia Chaves Gallieta.<br />
<br />
<em>&quot;O Minist&eacute;rio P&uacute;blico Estadual vem cumprindo seu papel como fiscal da Lei. Contamos com uma estrutura tecnol&oacute;gica moderna, capaz de investigar e combater a corrup&ccedil;&atilde;o com agilidade e precis&atilde;o&quot;</em>, destacou Clenan Renaut.<br />
<br />
Inaugurado em 31 de mar&ccedil;o de 2014, o Laborat&oacute;rio de Tecnologia Contra Lavagem de Dinheiro &eacute; uma unidade de apoio aos trabalhos de investiga&ccedil;&atilde;o e pesquisas de dados e informa&ccedil;&otilde;es, auxiliando nas a&ccedil;&otilde;es e apura&ccedil;&atilde;o de diversos delitos como crimes de lavagem de dinheiro, corrup&ccedil;&atilde;o, crime organizado, crimes contra a administra&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica, entre outros.<br />
<br />
De acordo com a Coordenadora, K&aacute;tia Gallieta, O LAB-LD &eacute; constitu&iacute;do por um conjunto de equipamentos de alta tecnologia, associados a uma metodologia espec&iacute;fica que utiliza diversas ferramentas, softwares e sistemas destinados &agrave; an&aacute;lise de grande volume de informa&ccedil;&otilde;es, especialmente de dados banc&aacute;rios, fiscais e telef&ocirc;nicos, visando &agrave; identifica&ccedil;&atilde;o, rastreamento e recupera&ccedil;&atilde;o de recursos, como o bloqueio de bens e contas banc&aacute;rias, oriundos das atividades il&iacute;citas, possibilitando o cruzamento de grandes volumes de dados em menor tempo, assim como o aprimoramento da an&aacute;lise e a indica&ccedil;&atilde;o de novos caminhos para a investiga&ccedil;&atilde;o.<br />
<br />
Al&eacute;m disso, o Laborat&oacute;rio incentiva uma nova cultura investigativa, pela qual se busca n&atilde;o s&oacute; a pris&atilde;o dos criminosos, mas tamb&eacute;m, e principalmente, a sua descapitaliza&ccedil;&atilde;o, permitindo, assim, a recupera&ccedil;&atilde;o de ativos aos cofres p&uacute;blicos.<br />
<br />
<em>&quot;Nestes 12 meses de atua&ccedil;&atilde;o, recebemos 31 pedidos de quebra de sigilo banc&aacute;rio e realizamos mais de 3.300 pesquisas. Utilizando as ferramentas disponibilizadas pelo LAB-LD, e atrav&eacute;s das an&aacute;lises realizadas com base em decis&otilde;es judiciais, foram identificados at&eacute; o momento, R$ 13.963.541,76 em ativos com ind&iacute;cios de irregularidade&quot;</em>, comentou a coordenadora K&aacute;tia Gallieta.<br />
<br />
Para o Laborat&oacute;rio do Tocantins, o Minist&eacute;rio da Justi&ccedil;a disponibilizou cerca de R$ 800 mil reais em equipamentos e softwares. Em contrapartida o MPE custeou as despesas com o treinamento para integrantes do LAB-LD, al&eacute;m da reforma das instala&ccedil;&otilde;es do pr&eacute;dio para receber os equipamentos. <em>(</em></span><em><span style="font-size:14px;">Jo&atilde;o Lino Cavalcante)</span></em>

Comentários pelo Facebook: