Seet
Sobral – 300×100

O internauta de perfil míope “Drummondiano”

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Em&iacute;lio Lopes</u></span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">No poema VERDADE de Carlos Drummond de Andrade, h&aacute; um trecho em que se diz que a &ldquo;verdade&rdquo;, tendo para si uma porta aberta, s&oacute; deixaria passar meia pessoa de cada vez. Assim, n&atilde;o poder&aacute; ser atingida, pois as metades traziam o perfil da meia verdade&rdquo;.<br />
<br />
Aludindo a esse poeta de produ&ccedil;&atilde;o rica e vasta poder&iacute;amos questionar aqui o perfil ideal de cada leitor comentarista das redes sociais. Seriam eles, fieis &agrave;s suas verdades? Ou apenas apresentam seus perfis com a &ldquo;meia verdade&rdquo; atendendo apenas &agrave;s suas conveni&ecirc;ncias, caprichos ou ilus&otilde;es m&iacute;opes?<br />
<br />
Hoje basta um acesso ao conte&uacute;do postado e logo esse mesmo conte&uacute;do ser&aacute; curtido, questionado, refutado, ou motivo de cr&iacute;tica &aacute;cida. Tem sido assim o cotidiano dos cidad&atilde;os adeptos das redes sociais, local onde se disponibiliza todo tipo de postagem. N&atilde;o h&aacute; quem n&atilde;o queira fazer parte desse universo sempre recheado de conte&uacute;dos dos mais diversos.<br />
<br />
A ampla disponibilidade de aplicativos abertos a compartilhamentos de diferentes conte&uacute;dos permitem leituras que s&atilde;o seguidas de diferentes coment&aacute;rios e opini&otilde;es&nbsp; acerca do que se leu ou apenas sobre o que se viu superficialmente.<br />
<br />
&Eacute; nesse contexto que essa an&aacute;lise ganha sentido, pois seu objetivo nada mais &eacute; do que buscar entender o comportamento de internautas plantonistas em seus coment&aacute;rios nem sempre de acordo com os padr&otilde;es lingu&iacute;sticos ou desprovidos de um conhecimento t&eacute;cnico sobre o que se discute, questiona ou contesta-se.&nbsp;<br />
<br />
Todos querem um espa&ccedil;o para apresentar suas cr&iacute;ticas, afinal, somos todos cidad&atilde;os do pa&iacute;s democr&aacute;tico onde o direito a liberdade de express&atilde;o &eacute; assegurada para todos. Da&iacute; a raz&atilde;o de todos reivindicarem e at&eacute; mesmo incorporarem uma &ldquo;forma&ccedil;&atilde;o discursiva&rdquo;. Pois entendemos que mesmo a cr&iacute;tica acirrada, &eacute; uma forma de apropria&ccedil;&atilde;o discursiva.<br />
<br />
Quem questiona, quer estabelecer sua verdade, sua opini&atilde;o, seu posicionamento. Dessa forma, h&aacute; que se considerar que sua fala, estar&aacute; tomada de uma verve cr&iacute;tica, uma situa&ccedil;&atilde;o contestadora que logo ir&aacute; configurar um discurso. Logo, n&atilde;o se pode assegurar o qu&atilde;o de verdade h&aacute; nesse mesmo discurso.<br />
<br />
De acordo com Orlandi, uma forma&ccedil;&atilde;o discursiva &ldquo;se define como aquilo que em uma forma&ccedil;&atilde;o ideol&oacute;gica dada &ndash; ou seja, a partir de uma posi&ccedil;&atilde;o dada em uma conjuntura dada &ndash; determina o que pode e deve ser dito&rdquo;. A posi&ccedil;&atilde;o dos internautas que criticam, curtem, elogiam ou apoiam certas postagens sobrepuja nesse caso, suas ideologias. Aquilo que a mesma Orlandi&nbsp; vai definir como a ideologia, enquanto estrutura-funcionamento, pois ela, &ldquo;dissimula sua exist&ecirc;ncia a partir de seu pr&oacute;prio funcionamento&rdquo;<br />
<br />
Voltando a poesia de Drummond, sobre a VERDADE, no desfecho chegaram at&eacute; a discutir qual das metades era mais bela. Nenhuma era totalmente bela, careciam optar por qual das meias verdades era a mais adequada. Prevaleceram no final, segundo o poeta, as limita&ccedil;&otilde;es pessoais de cada um.<br />
<br />
Dessa forma, quanto aos leitores internautas cr&iacute;ticos de nossa vasta internet seguem o rumo dos procuradores da verdade. Todos querem optar por um coment&aacute;rio, e cada um termina que optando conforme seus caprichos, suas&nbsp; ilus&otilde;es e sua miopia.</span><br />
<br />
<u><strong><span style="font-size:14px;">Em&iacute;lio Lopes</span></strong></u><span style="font-size:14px;"> – escritor e p</span><span style="font-size:14px;">rofessor graduado em Normal Superior e Hist&oacute;ria, atua na Educa&ccedil;&atilde;o desde 1993.</span>

Comentários pelo Facebook: