Sobral – 300×100
Seet

Farmacêuticos protocolam formulário cobrando pagamento de insalubridade, que não é pago desde 2006

admin -

<span style="font-size:14px;">Farmac&ecirc;uticos representantes dos profissionais que atuam no Hospital Geral de Palmas (HGP), Hospital Infantil e Hospital e Maternidade Dona Regina protocolaram na tarde desta segunda-feira, 8, na Secretaria de Sa&uacute;de, um oficio solicitando o pagamento do adicional de insalubridade. A a&ccedil;&atilde;o atende a uma solicita&ccedil;&atilde;o da Sesau aos servidores que se sentissem prejudicados pelo n&atilde;o pagamento da indeniza&ccedil;&atilde;o por insalubridade, prevista em lei.<br />
<br />
De acordo com eles, foram 15 requerimentos protocolados no ato desta segunda, mas nas cidades do interior a mesma medida est&aacute; sendo tomada pelos profissionais. Ao todo, farmac&ecirc;uticos que atuam nos 19 hospitais do Estado devem oficializar o pedido. Segundo Vidal Gonzalez, farmac&ecirc;utico do HGP, desde 2006 o adicional n&atilde;o &eacute; pago aos profissionais.<br />
<br />
<u><strong>Entenda</strong></u><br />
<br />
Semana passada o Conselho Regional de Farm&aacute;cia (CRF-TO) fez uma vistoria no HGP e constatou diversas irregularidades, entre elas, o n&atilde;o pagamento do adicional de insalubridade aos profissionais de Farm&aacute;cia. Em nota, a Secretaria da Sa&uacute;de, informou que a indeniza&ccedil;&atilde;o por insalubridade &eacute; paga conforme a Lei n&ordm; 2670, de dezembro de 2012, e orientou que os servidores que se sentissem prejudicados deveriam procurar o Recursos Humanos da Sesau para preenchimento de formul&aacute;rio requerendo a indeniza&ccedil;&atilde;o, cujo pedido ser&aacute; avaliado pela Comiss&atilde;o de Insalubridade.</span>

Comentários pelo Facebook: