Seet
Sobral – 300×100

Governo não dá previsão de aumento do efetivo policial e apresenta apenas ações paliativas em Araguaína

admin -

<span style="font-size:14px;">Um dia antes da grande manifesta&ccedil;&atilde;o desta quarta-feira (17), em Aragua&iacute;na (TO), a c&uacute;pula da seguran&ccedil;a p&uacute;blica do Estado procurou a organiza&ccedil;&atilde;o do movimento para apresentar algumas propostas iniciais para conter o avan&ccedil;o da criminalidade na cidade. Apesar do an&uacute;ncio das medidas paliativas, mais de 2 mil pessoas sa&iacute;ram &agrave;s ruas em protesto pela manh&atilde;.<br />
<br />
Estiveram em Aragua&iacute;na o secret&aacute;rio de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica, C&eacute;sar Simoni, o comandante geral da Pol&iacute;cia Militar, Coronel Glauber de Oliveira Santos, o comandante do Policiamento do Interior da PM, Tenente-Coronel Lu&iacute;s Carlos Barbosa Ferreira, a comandante do 2&ordm; Batalh&atilde;o da Pol&iacute;cia Militar de Aragua&iacute;na, Major Patr&iacute;cia Murussi, e o Subsecret&aacute;rio de Defesa e Prote&ccedil;&atilde;o Social, H&eacute;lio Marques.&nbsp;<br />
<br />
Os representantes do atual Governo voltaram a culpar os ex-gestores pelo caos vivido no Estado. As d&iacute;vidas estariam impossibilitando os investimentos.<br />
<br />
Segundo C&eacute;sar Simoni, de imediato, duas equipes do Grupo de Opera&ccedil;&otilde;es T&aacute;ticas Especiais (GOTE) ser&atilde;o deslocadas para Aragua&iacute;na durante duas semanas. Periodicamente, o grupo far&aacute; opera&ccedil;&otilde;es na cidade, mas o projeto, de acordo com o secret&aacute;rio, &eacute; implantar aqui uma equipe fixa do GOTE. Outro an&uacute;ncio foi com rela&ccedil;&atilde;o &agrave; escala de trabalho dos delegados. C&eacute;sar afirmou que a categoria comprometeu-se estar &agrave; disposi&ccedil;&atilde;o da comunidade al&eacute;m das horas de trabalho previstas em lei. <em>&ldquo;Estamos buscando todos os dias as solu&ccedil;&otilde;es e estamos convictos que vamos encontrar. Vamos superar as adversidades, constituir uma pol&iacute;cia forte e dar seguran&ccedil;a para o cidad&atilde;o</em>&rdquo;, garantiu o secret&aacute;rio.<br />
<br />
J&aacute; em rela&ccedil;&atilde;o ao concurso p&uacute;blico paralisado desde dezembro de 2014, C&eacute;sar disse que o Estado precisa dispor de recursos na ordem de R$ 9 milh&otilde;es para dar posse aos aprovados, mas ainda n&atilde;o h&aacute; nenhuma previs&atilde;o de quando isso vai acontecer.<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/Passeata%20Seguran%E7a%20P%FAblica%2011.jpg" style="width: 600px; height: 401px;" /><br />
<strong><u>Pol&iacute;cia Militar</u></strong><br />
<br />
Para o aparelhamento da Pol&iacute;cia Militar, Coronel Glauber anunciou um novo contrato do Estado para a loca&ccedil;&atilde;o de 500 ve&iacute;culos, sendo que 167 j&aacute; foram entregues. &ldquo;<em>Dentro de 30 a 40 dias, estaremos com todas as viaturas dispon&iacute;veis</em>&rdquo;, disse o comandante. Para Aragua&iacute;na, o Comando Geral garantiu um refor&ccedil;o inicial de viaturas e motos at&eacute; que os novos ve&iacute;culos alugados cheguem &agrave; cidade. Segundo o coronel, o n&uacute;mero n&atilde;o ser&aacute; divulgado &quot;por quest&otilde;es estrat&eacute;gicas&quot;.<br />
<br />
Sobre o aumento no efetivo, o comandante autorizou o pagamento de horas extras aos policiais para que o policiamento nas ruas seja refor&ccedil;ado. <em>&ldquo;Vamos tamb&eacute;m aumentar o n&uacute;mero de opera&ccedil;&otilde;es Fecha Quartel para deslocarmos nosso efetivo do administrativo para as ruas</em>&rdquo;, completou Coronel Glauber. O Comando Geral adiantou, ainda, que h&aacute; um projeto de implanta&ccedil;&atilde;o de uma Escola Militar em Aragua&iacute;na para o in&iacute;cio de 2016.<br />
<br />
<strong><u>C&eacute;lulas Comunit&aacute;rias</u></strong><br />
<br />
Segundo o presidente dos conselhos de seguran&ccedil;a, Dearley Kuhn, das nove c&eacute;lulas existentes em Aragua&iacute;na, apenas uma mant&eacute;m opera&ccedil;&atilde;o e em condi&ccedil;&otilde;es prec&aacute;rias.<em> &ldquo;A presen&ccedil;a dos policias nos bairros com o aux&iacute;lio da comunidade &eacute; uma estrat&eacute;gia important&iacute;ssima para identificar onde est&aacute; a criminalidade e coibir suas a&ccedil;&otilde;es. Mas j&aacute; h&aacute; algumas gest&otilde;es, o Governo do Estado n&atilde;o demonstra mais interesse neste projeto&rdquo;.</em><br />
<br />
De acordo com o comandante do Policiamento do Interior, Tenente-Coronel Lu&iacute;s Carlos Barbosa Ferreira, com o incremento dos 1.000 soldados aprovados no &uacute;ltimo concurso, haver&aacute; condi&ccedil;&otilde;es de reativar as c&eacute;lulas comunit&aacute;rias de seguran&ccedil;a. <em>&ldquo;Mas &eacute; preciso aguardar o prazo de forma&ccedil;&atilde;o dos policiais e planejar as a&ccedil;&otilde;es&rdquo;</em>, informou o tenente-coronel.<br />
<br />
<strong><u>Mais sugest&otilde;es</u></strong><br />
<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/Passeata%20Seguran%E7a%20P%FAblica%202.jpg" style="width: 300px; height: 201px; border-width: 0px; border-style: solid; margin-left: 5px; margin-right: 5px; float: right;" />Para a diretora da Aciara, Juliane Carneiro, a falta de seguran&ccedil;a afetar&aacute; diretamente a arrecada&ccedil;&atilde;o do Estado. <em>&ldquo;Os comerciantes est&atilde;o com medo de manter suas lojas abertas e at&eacute; mesmo os consumidores temem ir &agrave;s ruas para comprar porque podem ser assaltados a qualquer momento e em qualquer lugar&rdquo;</em>, refor&ccedil;ou Juliane.<br />
<br />
J&aacute; para o presidente do Rotary Club de Aragua&iacute;na, Ronaldo Assis Carvalho, a Pol&iacute;cia Militar deveria aumentar o n&uacute;mero de blitzen nas ruas e avenidas. &ldquo;Queremos que as autoridades cobrem o cidad&atilde;o, exijam que estejamos em dia com nossos ve&iacute;culos. A popula&ccedil;&atilde;o quer ver a pol&iacute;cia na rua&rdquo;, afirmou. O advogado da Associa&ccedil;&atilde;o dos Pra&ccedil;as da PM, Anderson Mendes, tamb&eacute;m chamou a aten&ccedil;&atilde;o para a necessidade de retornar &agrave;s ruas os policias que hoje cumprem fun&ccedil;&otilde;es de guarda ou administrativas em &oacute;rg&atilde;os p&uacute;blicos. &ldquo;&Eacute; preciso tamb&eacute;m garantir mais delegados para plant&otilde;es nas cidades do interior. Quando acontece um flagrante, o pequeno destacamento de policiais precisa se deslocar at&eacute; Aragua&iacute;na para apresentar o acusado ao delegado. Enquanto isso, o munic&iacute;pio fica desprotegido&rdquo;.</span>

Comentários pelo Facebook: