Seet
Sobral – 300×100

Ministério Público também instaura inquérito para apurar deficiência da Polícia Militar na Comarca de Araguaína

admin - |

Após instaurar inquérito para apurar as condições de funcionamento das Delegacias de Policia Civil de sete cidades que abrangem a comarca de Araguaína (TO), no norte do Estado, o MPE irá investigar também se há atuação efetiva da Polícia Militar nessas localidades.

Nesta terça-feira (23), o titular da 3ª Promotoria de Justiça de Araguaína, Paulo Alexandre Rodrigues de Siqueira, instaurou inquérito civil para averiguar irregularidades relativas ao baixo efetivo da Policia Militar nas cidades de Araguaína, Muricilândia, Nova Olinda, Santa Fé do Araguaia, Aragominas, Carmolândia e Araguanã.

Um ofício requerendo informações foi encaminhado ao Comandante Geral da Polícia Militar do Tocantins, Glauber de Oliveira Santos, que tem 10 dias para encaminhar resposta sobre o efetivo policial nos municípios, quantitativo de viaturas que estão funcionando e das que estão quebradas ou danificadas, relatório completo apontando a situação do armamento, além da previsão e cronograma para a realização de concurso público para praças e oficiais.

Apuração em relação às Delegacias

Também, em virtude do número insuficiente de delegados, escrivães, agentes civis e outros servidores públicos, o MPE vai apurar irregularidades e deficiências no funcionamento de Delegacias de Polícia dos municípios de Araguaína, Muricilândia, Nova Olinda, Santa Fé do Araguaia, Aragominas, Carmolândia e Araguanã.

O Ministério Público cobrou também informações sobre a possibilidade de nomeação imediata de pessoal para trabalhar na Delegacia Regional de Araguaína e instalação de novas delegacias especializadas (Central de Flagrantes, Delegacia Especializada em Homicídios, Delegacia de Furtos e Roubos, Delegacia de Captura e Crimes Cibernéticos e Delegacia Especializada em Tóxicos).

Comentários pelo Facebook: