Seet
Sobral – 300×100

Data-base é aprovada na Assembleia e grevistas retornam ao trabalho após 17 dias de paralisação no Estado

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
A data-base dos servidores p&uacute;blicos do Estado foi votada e aprovada na noite desta quinta-feira (02) colocando fim &agrave; greve que durou 17 dias. Nesta sexta-feira (3) os servidores&nbsp;</span><span style="font-size:14px;">do Quadro Geral do Estado, da Unitins, Adapec, Naturatins, Ruraltins e Administrativos da Secretaria da Fazenda j&aacute; retornaram ao trabalho.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">A medida dos servidores foi tomada ainda a tarde logo ap&oacute;s a aprova&ccedil;&atilde;o da emenda ao Projeto de Lei n&ordm; 13 de 2015, que disp&otilde;e sobre a revis&atilde;o geral anual na remunera&ccedil;&atilde;o dos servidores p&uacute;blicos da administra&ccedil;&atilde;o direta e indireta ser aprovada na Comiss&atilde;o de Constitui&ccedil;&atilde;o e Justi&ccedil;a.&nbsp;&nbsp;</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">O presidente do Sindicato dos Servidores P&uacute;blicos (Sisepe-TO), Cleiton Pinheiro informou que a categoria se reuniu em assembleia no final da tarde desta quinta-feira para deliberar sobre o acordo feito com os deputados pela aprova&ccedil;&atilde;o da data-base, ficando decidido pelo fim da greve. <em>&ldquo;N&atilde;o conseguimos o recebimento na integralidade, mas foi melhor que a proposta inicial apresentada pelo governo&rdquo;</em>, pontuou. <em>&ldquo;A maioria soberana decidiu pelo fim da greve e j&aacute; nesta sexta-feira a categoria volta a trabalhar</em>&rdquo;, garantiu.<br />
<br />
<strong><u>Data-base</u></strong><br />
<br />
O projeto de Lei do governo recebeu uma emenda, proposta pelos deputados de pagamento do &iacute;ndice de 8,34% da data-base em duas parcelas. A primeira parcela, de 4,17%, ser&aacute; paga agora em julho, e os outros 4,17% na folha de outubro.<br />
<br />
J&aacute; o retroativo da data-base referente aos meses de maio e junho ser&aacute; pago em duas parcelas tamb&eacute;m, sendo 4,17% em folha complementar de julho e o restante parcelado em 12 vezes, a partir de janeiro de 2016.</span><br />
<span style="font-size:14px;">&nbsp;<br />
A emenda foi elaborada na noite de&nbsp;quarta-feira, ap&oacute;s reuni&atilde;o entre parlamentares e servidores. &nbsp;</span><br />

Comentários pelo Facebook: