Sobral – 300×100
Seet

Escutas revelam que ordem para incendiar ônibus em Palmas e Araguaína partiu dos presídios; "vamos tocar fogo num baú"

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
Grava&ccedil;&otilde;es telef&ocirc;nicas autorizadas pela justi&ccedil;a revelam que os ataques aos &ocirc;nibus em Palmas e Aragua&iacute;na (TO) foi ordenado de dentro dos pres&iacute;dios como &quot;resposta&quot; a supostas opress&otilde;es aos detentos no Pres&iacute;dio Barra da Grota. As a&ccedil;&otilde;es criminosas aconteceram&nbsp;</span><span style="font-size:14px;">no final de fevereiro e in&iacute;cio do m&ecirc;s de mar&ccedil;o.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">- &quot;<em>Ei irm&atilde;o, &eacute; o seguinte: nossos irm&atilde;os l&aacute; no Barra </em>[Pres&iacute;dio Barra da Grota, em Aragua&iacute;na]<em> est&atilde;o sendo oprimidos. A&iacute; n&oacute;s vamos tocar fogo num ba&uacute;. O senhor vai s&oacute; pilotar, o molequinho vai fazer a a&ccedil;&atilde;o&quot;</em>, diz Nataniel Silva de Oliveira, que estava preso na Casa de Pris&atilde;o Provis&oacute;ria de Palmas. No di&aacute;logo, Marlon Pereira de Sousa, que estava em liberdade, confirma e aceita a ordem. &quot;Pode crer&quot;.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">Cumprindo a determina&ccedil;&atilde;o, e</span><span style="font-size:14px;">m Palmas, foram tr&ecirc;s ataques em um &uacute;nico fim de semana. Em Aragua&iacute;na, tamb&eacute;m tr&ecirc;s &ocirc;nibus foram queimados em uma mesma noite. Cerca de 15 homens armados e encapuzados invadiram a garagem da Via&ccedil;&atilde;o Lontra e atearam fogo em dois ve&iacute;culos. Momentos depois, outro &ocirc;nibus foi queimado pr&oacute;ximo ao est&aacute;dio Mirand&atilde;o. Os criminosos ainda deixaram o s&iacute;mbolo &quot;CV&quot;, que significa Comando Vermelho.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;"><img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/comando%20vermelho.jpg" style="width: 300px; height: 169px; border-width: 0px; border-style: solid; margin-left: 5px; margin-right: 5px; float: right;" />Para executar a a&ccedil;&atilde;o, os criminosos recrutaram v&aacute;rios comparsas.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">- <em>&quot;A&iacute; mano, estamos precisando de uns irm&atilde;os a&iacute; fora para bater o terror. Tem uns irm&atilde;os nosso, l&aacute; em cima sendo oprimidos pelo verme no isolamento. Precisamos fazer alguma coisa. Um salve dos irm&atilde;os l&aacute; de cima para todos os estados. Um salve &eacute; parar o bus&atilde;o, descer todo mundo, sem roubar ningu&eacute;m, sem machucar ningu&eacute;m. Depois, meter gasolina, meter fogo e uma pequena frase para o motorista&quot;.</em></span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">A express&atilde;o &quot;verme&quot; se refere aos policiais respons&aacute;veis pela seguran&ccedil;a nos pres&iacute;dios. Em cada ataque, um bilhete era deixado aos motoristas com a seguinte frase: <em>&quot;Isso &eacute; pelas opress&otilde;es nos pres&iacute;dios do estado do Tocantins. Se n&atilde;o parar, vai ter mais&quot;.</em></span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">Segundo a delegada de Pol&iacute;cia Civil Liliane Albuquerque, o</span><span style="font-size:14px;">&nbsp;pessoal de dentro do pres&iacute;dio recruta o pessoal da cidade e eles fazem a queima dos &ocirc;nibus. Mensagens de texto nos aparelhos celulares dos suspeitos confirmaram que o objetivo do grupo era ajudar os outros membros da fac&ccedil;&atilde;o.&nbsp;<br />
<br />
O resultado das investiga&ccedil;&otilde;es deixa claro que fac&ccedil;&otilde;es criminosas no Tocantins comandam crimes de dento dos pres&iacute;dios. <em>&quot;As investiga&ccedil;&otilde;es s&atilde;o dif&iacute;ceis, s&atilde;o complexas. Mas a exist&ecirc;ncia deles no nosso estado est&aacute; comprovada&quot;</em>, afirmou a delegada.<br />
<br />
As informa&ccedil;&otilde;es s&atilde;o do G1 Tocantins.</span>

Comentários pelo Facebook: