Seet
Sobral – 300×100

Governo do Estado retoma ações em educação indígena e prepara concurso para professor

admin -

<span style="font-size:14px;">Na manh&atilde; desta quinta-feira, 9, foi aberta oficialmente a 24&ordf; etapa do curso de Magist&eacute;rio Ind&iacute;gena, no Centro de Ensino M&eacute;dio Ind&iacute;gena Xerente (Cemix), localizado no munic&iacute;pio de Tocant&iacute;nia, a 68 km de Palmas.&nbsp; A educa&ccedil;&atilde;o ind&iacute;gena, que estava paralisada na gest&atilde;o anterior, passou a ser um dos eixos desta gest&atilde;o, tendo em vista uma pol&iacute;tica de educa&ccedil;&atilde;o integral e humanizada. O curso &eacute; tamb&eacute;m um preparat&oacute;rio para o concurso de professor ind&iacute;gena, j&aacute; em estudo na Seduc.<br />
<br />
No total, 81 professores est&atilde;o sendo capacitados para aturarem em aldeias ind&iacute;genas. Os cursos tem carga hor&aacute;ria de 40h e 60h e segue at&eacute; o dia 24 de julho, com a segunda etapa prevista para acontecer em dezembro, pr&oacute;ximo per&iacute;odo de f&eacute;rias escolares. Nesta etapa de forma&ccedil;&atilde;o, estar&atilde;o aptos a ministrar aulas em escolas ind&iacute;genas, aqueles que conseguirem manter, pelo menos, 75% de frequ&ecirc;ncia nas disciplinas ministradas.<br />
<br />
De acordo com o diretor de Diversidade e Programas Educacionais, Felipe Carvalho, que esteve no ato representando o secret&aacute;rio da Educa&ccedil;&atilde;o, Ad&atilde;o Francisco de Oliveira, o Governo do Estado mostra comprometimento com a educa&ccedil;&atilde;o ind&iacute;gena que estava, h&aacute; anos, paralisada. <em>&quot;A educa&ccedil;&atilde;o ind&iacute;gena &eacute; fundamental, tendo em vista que o Tocantins abriga sete etnias ind&iacute;genas. Projetos como o curso de magist&eacute;rio, mostra o comprometimento do nosso governador Marcelo Miranda em fortalecer o ensino nas comunidades&quot;</em>, afirmou.<br />
<br />
Segundo Cleide Ara&uacute;jo, gerente de Educa&ccedil;&atilde;o Ind&iacute;gena, a Seduc tamb&eacute;m far&aacute; a retomada das forma&ccedil;&otilde;es continuadas e capacita&ccedil;&otilde;es para o administrativo. <em>&quot;Estamos com uma expectativa bastante grande com rela&ccedil;&atilde;o &agrave; educa&ccedil;&atilde;o escolar ind&iacute;gena, pois pretendemos ser refer&ecirc;ncia no Pa&iacute;s. Al&eacute;m do governo se preocupar com a qualifica&ccedil;&atilde;o, do outro lado vemos a satisfa&ccedil;&atilde;o e valoriza&ccedil;&atilde;o desses professores, com essas pol&iacute;ticas&quot;</em>, disse.<br />
<br />
A paralisa&ccedil;&atilde;o da pol&iacute;tica educacional ind&iacute;gena era uma grande preocupa&ccedil;&atilde;o da comunidade, conforme a professora, Valnice da Mata Brito Xerente, que tamb&eacute;m participa do curso de Magist&eacute;rio Ind&iacute;gena. Segundo ela, a retomada do processo e an&uacute;ncio de um concurso para professor ind&iacute;gena levou mais pessoas a buscar capacita&ccedil;&atilde;o. <em>&quot;Com a continua&ccedil;&atilde;o do processo, pretendo concluir o curso de magist&eacute;rio. A previs&atilde;o de um concurso para professor ind&iacute;gena &eacute; a nossa grande motiva&ccedil;&atilde;o a estar buscando sempre melhorar a nossa aprendizagem e ensino nas aldeias&quot;,</em> comemorou.<br />
<br />
Para o professor J&uacute;lio Kam&ecirc;s Ribeiro Apinaj&eacute;, que ministra o curso de L&iacute;ngua Ind&iacute;gena Apinaj&eacute;, o magist&eacute;rio ind&iacute;gena &eacute; a &uacute;nica ferramenta para que os professores possam trabalhar a educa&ccedil;&atilde;o dos jovens estudantes ind&iacute;genas. <em>&quot;Fiquei bastante feliz quando soube que esse curso seria retomado. Assim, poderemos tamb&eacute;m retomar os nossos projetos de alfabetiza&ccedil;&atilde;o nas aldeias</em>&quot;, afirmou.<br />
<br />
Participam do curso professores das etnias Krah&ocirc;, Apinaj&eacute;, Xerente, Java&eacute;, Karaj&aacute;, Krah&ocirc;-Kanela e Karaj&aacute;-Xambio&aacute;. Nesta etapa, s&atilde;o ministradas disciplinas de l&iacute;nguas ind&iacute;genas, metodologia e pr&aacute;tica de ensino, literatura infanto-juvenil, fundamentos antropol&oacute;gicos e est&aacute;gios supervisionados.</span>

Comentários pelo Facebook: