Seet
Sobral – 300×100

Embrapa e Unitins pesquisam cultivares de mandioca mais adaptadas ao solo do Tocantins

admin -

<span style="font-size:14px;">A mandioca &eacute; um dos principais produtos rurais do Tocantins. Al&eacute;m de servir como fator de seguran&ccedil;a alimentar para os agricultores, a mandioca tamb&eacute;m &eacute; cultivada para o processamento de produtos na ind&uacute;stria de alimentos. Com o objetivo de levar ao conhecimento do produtor quais as cultivares da mandioca que podem oferecer uma melhor produ&ccedil;&atilde;o, a Embrapa juntamente com parceiros como a Funda&ccedil;&atilde;o Universidade do Tocantins (Unitins), realiza nesta semana a colheita e avalia&ccedil;&atilde;o de 14 cultivares de mandioca para a ind&uacute;stria.<br />
<br />
O pesquisador da Embrapa Gustavo Azevedo Campos explica que as mudas foram plantadas em novembro do ano passado e agora &eacute; a &eacute;poca da primeira colheita. O local de plantio &eacute; uma propriedade particular na &aacute;rea rural de Taquaralto, em Palmas. Ap&oacute;s a colheita, os exemplares foram levados para o Complexo de Ci&ecirc;ncias Agr&aacute;rias (CCA) da Unitins para os exames laboratoriais. Para a an&aacute;lise foram selecionadas 100 plantas de cada cultivar.<br />
<br />
<em>&ldquo;O objetivo &eacute; analisar as cultivares, verificar o desenvolvimento de cada uma e poder elaborar um boletim apresentando os resultados da pesquisa, essa informa&ccedil;&atilde;o queremos levar ao produtor para que ele possa escolher a mais adequada para o seu plantio&rdquo;</em>, explica Gustavo.<br />
<br />
O pesquisador destaca que a demanda pela mandioca n&atilde;o &eacute; nova, afinal &eacute; um dos produtos rurais mais importantes do Estado e com derivados muito apreciados na regi&atilde;o, al&eacute;m de garantir o alimento de muitas fam&iacute;lias. Por esses motivos, o produto mostra a import&acirc;ncia. &ldquo;<em>Criamos uma rede de trabalho em pesquisas de mandioca que tem muitas entidades envolvidas como Embrapa, Unitins, Ruraltins, Conab, prefeituras e muitos outros. Cada uma usa os seus pontos fortes e montamos experimentos que podem servir a todos. O arranjo institucional nem sempre &eacute; f&aacute;cil, mas acho que estamos avan&ccedil;ando de maneira muito positiva&rdquo;</em>.<br />
<br />
Gustavo finaliza anunciando que nos dias 28 e 29 de agosto ser&aacute; realizado um Dia de Campo, tamb&eacute;m em Taquaralto, para apresentar os resultados das an&aacute;lises e discutir o experimento com produtores, pesquisadores, estudantes e t&eacute;cnicos da &aacute;rea.</span>

Comentários pelo Facebook: