Sobral – 300×100
Seet

Funcionalismo federal do TO aprova paralisação e indicativo de greve; 80% já aderiram no Brasil

admin -

<span style="font-size:14px;">O funcionalismo federal, sindicatos e movimentos sociais estiveram reunidos, na sexta-feira (24), no Sindicato dos Trabalhadores no Servi&ccedil;o P&uacute;blico Federal no Estado do Tocantins (SINTSEP-TO), aprovaram paralisa&ccedil;&atilde;o e indicativo de greve para pr&oacute;xima segunda-feira (27). O ato visa unir e intensificar o movimento grevista no Estado do Tocantins, a exemplo do que vem acontecendo no restante do pa&iacute;s, 80% do total de servidores do Executivo Federal j&aacute; aprovaram greve.<br />
<br />
Um comunicado da Confedera&ccedil;&atilde;o dos Trabalhadores no Servi&ccedil;o P&uacute;blico Federal (CONDSEF) informando a decis&atilde;o da categoria j&aacute; foi enviado a todos os &oacute;rg&atilde;os competentes, incluindo os ministros de Estado. A decis&atilde;o s&oacute; se reverte caso o governo apresente proposta formal levando em conta o conjunto de demandas apresentadas, sem condicionar o processo de negocia&ccedil;&otilde;es a apenas um item em debate.<br />
<br />
A categoria espera que nesse processo o governo leve em considera&ccedil;&atilde;o tamb&eacute;m o &iacute;ndice de infla&ccedil;&atilde;o apontado para este ano e que pode chegar a dois d&iacute;gitos, em torno de 10%. A preocupa&ccedil;&atilde;o &eacute; que a categoria n&atilde;o continue amargando perdas salariais, que no acumulado chegam a mais de 40%, o que na pr&aacute;tica significar redu&ccedil;&atilde;o dos sal&aacute;rios do funcionalismo federal, afirma Fl&aacute;vio Mota, SINTSEP-TO.<br />
<br />
A paralisa&ccedil;&atilde;o acontecer&aacute; em v&aacute;rios &oacute;rg&atilde;os p&uacute;blicos na capital, Palmas. Segundo Jos&eacute; de Arimatea, SINTSEP-TO, haver&aacute; concentra&ccedil;&atilde;o de servidores e protesto com carro de som em frente ao Instituto Nacional de Coloniza&ccedil;&atilde;o e Reforma Agr&aacute;ria (INCRA), carreata at&eacute; o Minist&eacute;rio do Trabalho (MTE) e finaliza&ccedil;&atilde;o do ato na Funda&ccedil;&atilde;o Nacional de Sa&uacute;de (FUNASA), acontece paralisa&ccedil;&atilde;o das atividades Funda&ccedil;&atilde;o Nacional do &Iacute;ndio (FUNAI); participa&ccedil;&atilde;o dos servidores: do Distrito Sanit&aacute;rio Especial Ind&iacute;gena (DSEI), Superintend&ecirc;ncia do Patrim&ocirc;nio da Uni&atilde;o (SPU), Minist&eacute;rio da Agricultura, Pecu&aacute;ria e Abastecimento (MAPA); participa&ccedil;&atilde;o do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Colinas e Articula&ccedil;&atilde;o Camponesa de Luta pela Terra e Defesa dos Territ&oacute;rios; foram convidados servidores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), VALEC – Engenharia, Constru&ccedil;&otilde;es e Ferrovias S.A., Instituto Nacional do Seguro Social&nbsp; (INSS);&nbsp; o ato contar&aacute; com a participa&ccedil;&atilde;o de representante do Sindicato Nacional dos Docentes do Ensino Superior (ANDES-SN). Segundo o Maur&iacute;cio Alves, ANDES-SN, os professores e t&eacute;cnicos administrativos da Universidade Federal do Tocantins (UFT) est&atilde;o completando 60 dias de greve.</span>

Comentários pelo Facebook: