Sobral – 300×100
Seet

Especialista explica as principais causas da queda de cabelo; 75% das pessoas têm esse problema

admin -

<span style="font-size:14px;">Uma das queixas femininas mais frequentes no consult&oacute;rio dermatol&oacute;gico &eacute; relativa &agrave; queda de cabelos. Muitas vezes, esse tipo de altera&ccedil;&atilde;o, que tamb&eacute;m acomete tamb&eacute;m os homens, surge ap&oacute;s um regime muito restritivo, cirurgias, altera&ccedil;&atilde;o tireoidiana, estresse excessivo, uso de medicamentos, p&oacute;s-parto ou mesmo a parada da p&iacute;lula anticoncepcional, por exemplo.<br />
<br />
Diariamente, uma pessoa perde 100-150 fios de cabelo, dos aproximadamente 150.000 existentes no couro cabeludo. <em>&ldquo;Diariamente temos no nosso couro cabeludo diversos fol&iacute;culos capilares em fase de queda, sendo assim, achar cabelo no ralo do banheiro ou na escova &eacute; normal, j&aacute; que o fol&iacute;culo sofre um trauma nessas ocasi&otilde;es e se rompe&rdquo;</em>, explica a dermatologista Dra Camila Novak de Freitas.<br />
&nbsp;<br />
De acordo com a especialista, quando a pessoa nota um volume de fios anormal no travesseiro, no ch&atilde;o da casa ou na mesa de trabalho, &eacute; preciso investigar o motivo com a ajuda de um m&eacute;dico.&nbsp;<br />
<br />
<em>&ldquo;Antes de tratar a queda, &eacute; important&iacute;ssimo conhecer a causa, pois cada uma delas vai levar a um tratamento diferente. Evitar a oleosidade e a dermatite seborreica contribuem para o tratamento. Existem diversos tratamentos, como shampoos, lo&ccedil;&otilde;es, medicamentos de uso oral, intradermoterapia ou mesoterapia capilar e tratamentos com feixes de luz vermelha e infra-vermelha&rdquo;</em>, diz Dra Camila.<br />
<br />
E ainda d&aacute; uma dica importante para n&atilde;o agravar a situa&ccedil;&atilde;o: &ldquo;<em>O ideal &eacute; n&atilde;o se desesperar, pois altos n&iacute;veis de estresse&nbsp;geram um c&iacute;rculo vicioso:&nbsp;quanto mais cabelo cai,&nbsp; maior a ansiedade e maior queda</em>&rdquo;, alerta.<br />
&nbsp;<br />
Segundo dados da Associa&ccedil;&atilde;o Brasileira de Cirurgia de Restaura&ccedil;&atilde;o Capilar, a queda de cabelo acomete cerca de 25% das brasileiras entre 35 e 40 anos e 50% daquelas com mais de 40 anos. No caso dos homens, de acordo com a Sociedade Internacional de Cirurgia de Restaura&ccedil;&atilde;o de Cabelo, 40% sofrem com o problema antes dos 35 anos.<br />
&nbsp;<br />
<u><strong><em>Principais causas de queda de cabelo</em></strong></u><br />
&nbsp;<br />
<strong><em>1. P&oacute;s-parto:</em></strong>&nbsp;<em>quando a mulher est&aacute; gr&aacute;vida, ela perde menor quantidade de fios do que perderia normalmente, e ao final da gravidez muitos fios entram na fase de repouso do ciclo e caem. Isso ocorre normalmente 2 a 3 meses ap&oacute;s o parto, podendo durar de 1 a 6 meses, retornando ao ciclo normal na maioria dos casos.</em><br />
&nbsp;</span><br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/doutora(1).jpg" style="font-size: 14px; width: 300px; height: 200px; border-width: 0px; border-style: solid; margin-left: 5px; margin-right: 5px; float: right;" />
<div>
<br />
<span style="font-size:14px;"><strong><em>2. Anemia:</em></strong>&nbsp;<em>a defici&ecirc;ncia de ferro pode ocorrer por uma diminui&ccedil;&atilde;o da ingest&atilde;o de alimentos ricos nesse elemento, por redu&ccedil;&atilde;o da absor&ccedil;&atilde;o do ferro no tubo digestivo ou por perda cr&ocirc;nica atrav&eacute;s de hemorragias, como por exemplo, em mulheres com o per&iacute;odo menstrual muito longo ou com grande volume menstrual. Essa defici&ecirc;ncia pode ser detectada atrav&eacute;s de exames de sangue e corrigida com o uso de medica&ccedil;&otilde;es para repor o ferro.</em><br />
&nbsp;<br />
<strong><em>3. Dieta pobre em prote&iacute;nas:</em></strong>&nbsp;<em>dietas n&atilde;o balanceadas podem levar uma ingest&atilde;o inadequada de prote&iacute;nas e o corpo ir&aacute; economizar as prote&iacute;nas nos cabelos, fazendo com ele passem para a fase de repouso, o que acarretar&aacute; em uma perda grande dos fios. Isso pode ser prevenido e tratado atrav&eacute;s de uma dieta balanceada, com as quantidades adequadas de prote&iacute;na.</em><br />
&nbsp;<br />
<strong><em>4. Uso inadequado de produtos para cabelos:</em></strong>&nbsp;<em>o uso de tinturas, &aacute;gua oxigenada, permanentes, alisantes, descolorantes e outros produtos podem enfraquecer os cabelos levando &agrave; sua queda e quebra. Nestes casos &eacute; necess&aacute;rio interromper o uso at&eacute; o crescimento de novos fios.</em><br />
&nbsp;<br />
<strong><em>5. Infec&ccedil;&atilde;o por fungos:</em></strong>&nbsp;<em>ocorrem &aacute;reas de descama&ccedil;&atilde;o no couro cabeludo, associadas a vermelhid&atilde;o e coceira, deixando os fios quebradi&ccedil;os. Essa infec&ccedil;&atilde;o &eacute; contagiosa e deve ser tratada com medicamentos apropriados.</em><br />
&nbsp;<br />
<strong><em>6. Uso de medicamentos:</em></strong>&nbsp;<em>alguns medicamentos podem ter como efeito colateral a queda tempor&aacute;rio dos cabelos.</em><br />
&nbsp;<br />
<strong><em>7. Uso de p&iacute;lulas anticoncepcionais:</em></strong>&nbsp;<em>algumas mulheres podem ter perda dos cabelos com o uso das p&iacute;lulas anticoncepcionais, e caso isso ocorra, devem procurar o seu ginecologista. A interrup&ccedil;&atilde;o do uso das p&iacute;lulas tamb&eacute;m pode desencadear a queda dos cabelos 2 a 3 meses ap&oacute;s o t&eacute;rmino do uso. Esse fato ocorre de maneira semelhante ao que ocorre no p&oacute;s-parto.</em><br />
&nbsp;<br />
<strong><em>8. Dist&uacute;rbios da tire&oacute;ide:</em></strong>&nbsp;<em>a diminui&ccedil;&atilde;o ou o aumento da produ&ccedil;&atilde;o dos horm&ocirc;nios da tire&oacute;ide, denominados de hipotireoidismo e hipertireoidismo, respectivamente, podem causar a queda dos cabelos. Essas altera&ccedil;&otilde;es podem ser diagnosticas pela medida dos horm&ocirc;nios no sangue e seu tratamento pode corrigir a perda dos cabelos.</em><br />
&nbsp;<br />
<strong><em>9. Febre e infec&ccedil;&otilde;es:</em></strong>&nbsp;<em>febre alta e infec&ccedil;&otilde;es como uma gripe forte pode levar a uma queda excessiva dos cabelos por 4 semanas a 3 meses, cessando espontaneamente.</em><br />
&nbsp;<br />
<strong><em>10. Estresse:</em></strong>&nbsp;<em>algumas situa&ccedil;&otilde;es, como grandes cirurgias e doen&ccedil;as cr&ocirc;nicas, resultam em estresse para o organismo podendo levar &agrave; queda dos cabelos. O estresse ps&iacute;quico tamb&eacute;m pode aumentar a perda dos cabelos. Caso essas condi&ccedil;&otilde;es sejam passageiras, como no caso das cirurgias, a queda se reverte espontaneamente.</em><br />
&nbsp;<br />
<strong><em>11. Alopecia areata:</em></strong>&nbsp;<em>tamb&eacute;m conhecida como pelada, &eacute; a perda dos cabelos em uma pequena &aacute;rea arredondada. A causa &eacute; ainda desconhecida, e a condi&ccedil;&atilde;o pode ser tratada com o emprego de medicamentos t&oacute;picos ou sist&ecirc;micos.</em><br />
&nbsp;<br />
<strong><em>12. Calv&iacute;cie heredit&aacute;ria:</em></strong>&nbsp;<em>essa tend&ecirc;ncia gen&eacute;tica pode ser herdada pelo lado materno ou paterno, e as mulheres apresentar&atilde;o cabelos ralos, n&atilde;o se tornando completamente calvas. Tamb&eacute;m chamada de alopecia androgen&eacute;tica, ocorre devido a grandes concentra&ccedil;&otilde;es de horm&ocirc;nios masculinos ou pelo aumento da sensibilidade &agrave; a&ccedil;&atilde;o desses horm&ocirc;nios. Seu aparecimento pode ser ainda na adolesc&ecirc;ncia, sendo que existem alguns medicamentos t&oacute;picos que podem amenizar o problema.</em></span><br />
<div>
&nbsp;</div>
</div>
<br />

Comentários pelo Facebook: