Sobral – 300×100
Seet

População diminui salário de vereadores

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Pedro Cardoso&nbsp;</u><br />
<br />
Existem alguns per&iacute;odos em que a popula&ccedil;&atilde;o se enche e reage &agrave;s trapa&ccedil;as e espertezas dos pol&iacute;ticos.<br />
<br />
Esse tipo de rea&ccedil;&atilde;o deveria ser permanente e n&atilde;o espor&aacute;dico como tem sido. Mas d&aacute; para compreender, afinal todos gostariam de viver numa normalidade e as a&ccedil;&otilde;es de resist&ecirc;ncia s&oacute; aparecem por conta dos abusos praticados pelos gestores p&uacute;blicos brasileiros.<br />
<br />
Nesse momento, a grande onda que come&ccedil;a a se formar &eacute; contra o aumento de sal&aacute;rio de vereadores Brasil afora. O in&iacute;cio se deu no estado do Paran&aacute;, na cidade de Santo Ant&ocirc;nio da Platina, por iniciativa da empres&aacute;ria Adriana Lemes de Oliveira.<br />
<br />
Ela se insurgiu ap&oacute;s tomar conhecimento de um projeto de aumento dos sal&aacute;rios do prefeito de R$ 14,7 mil para R$ 22 mil e dos vereadores de R$ 3,7 mil para R$ 7,5 mil. Na primeira sess&atilde;o para aprova&ccedil;&atilde;o a empres&aacute;ria apareceu sozinha protestando e a grava&ccedil;&atilde;o de sua discuss&atilde;o com um dos vereadores foi parar na internet e &ldquo;bombou&rdquo;.<br />
<br />
Na sess&atilde;o seguinte, a popula&ccedil;&atilde;o da cidade se fez presente em peso e a&iacute; n&atilde;o s&oacute; os sal&aacute;rios n&atilde;o aumentaram, como foi aprovada uma redu&ccedil;&atilde;o significativa a partir do pr&oacute;ximo ano.<br />
<br />
A&iacute; est&aacute; a prova de que a rea&ccedil;&atilde;o vem do abuso. &Eacute; muito alto um sal&aacute;rio de quase 15 mil reais para um prefeito de uma cidade pequena e pobre, sem recursos pr&oacute;prios. E mais ainda quanto aos vencimentos dos vereadores acima de 3 mil reais, uma vez que eles recebem muitos benef&iacute;cios e privil&eacute;gios al&eacute;m do sal&aacute;rio.<br />
<br />
H&aacute; ainda a quest&atilde;o do n&uacute;mero de sess&otilde;es. Em regra, em cidades pequenas os vereadores se re&uacute;nem uma vez por semana. O trabalho fora das c&acirc;maras fica restrito a pagar a um funcion&aacute;rio para conduzir pessoas doentes, al&eacute;m de outras atividades sem nenhuma relev&acirc;ncia p&uacute;blica.<br />
<br />
O exemplo de redu&ccedil;&atilde;o de sal&aacute;rios j&aacute; foi seguido pelos moradores de outras cidades, como Diadema, ao lado da capital paulista.<br />
<br />
Essas ondas positivas deveriam ser imitadas pelo pa&iacute;s afora e acrescida de outros bons combates.<br />
<br />
Um deles seria acabar com a pr&aacute;tica de o poder p&uacute;blico pagar mais caro nas suas compras do que o pre&ccedil;o do mercado varejista. N&atilde;o paga uma diferen&ccedil;a &iacute;nfima. &Agrave;s vezes s&atilde;o pre&ccedil;os duas, tr&ecirc;s e at&eacute; 10 vezes acima. E a compra pelas administra&ccedil;&otilde;es p&uacute;blicas, em todas as esferas, &eacute; feita por atacado e atrav&eacute;s de concorr&ecirc;ncia pelo menor pre&ccedil;o.<br />
<br />
N&atilde;o se tem, porque n&atilde;o existe que d&ecirc; uma explica&ccedil;&atilde;o plaus&iacute;vel sobre essa discrep&acirc;ncia. S&oacute; a que todo mundo j&aacute; conhece: corrup&ccedil;&atilde;o, pura e simples. N&atilde;o tem justificativa porque os produtos v&ecirc;m dos mesmos fabricantes, pelos mesmos meios de transportes e, quase sempre, at&eacute; pelos mesmos revendedores.<br />
<br />
Existem outras pr&aacute;ticas que deveriam ser combatidas pelos mun&iacute;cipes. Os alugu&eacute;is de autom&oacute;veis, de pr&eacute;dios, de maquin&aacute;rios.<br />
<br />
As condecora&ccedil;&otilde;es a figuras famosas, como os muitos t&iacute;tulos de cidad&atilde;o desse ou daquele munic&iacute;pio. S&atilde;o valores expressivos com transporte, solenidade, placas, buffet e outras iniquidades. Um tipo de despesa somente para situa&ccedil;&otilde;es extremamente relevant&iacute;ssimas.<br />
<br />
S&oacute; como exemplo, o primeiro astronauta brasileiro que foi ao espa&ccedil;o justificaria uma celebra&ccedil;&atilde;o dessa natureza. Outro bom combate mereceriam as despesas das cidades nordestinas, pobres e vivendo de transfer&ecirc;ncias obrigat&oacute;rias, com o pagamento de bandas de forr&oacute; car&iacute;ssimas nas festas juninas.<br />
<br />
Essa onda contra o aumento dos vereadores deveria ser apenas a ponta do iceberg para acabar com outras farras em geral.<br />
<br />
J&aacute; seria um bom come&ccedil;o se o exemplo da empres&aacute;ria fosse seguido na pr&aacute;tica e n&atilde;o apenas nos sites de jornais, blogs ou nas redes sociais.<br />
<br />
Pedro Cardoso da Costa &eacute; Bacharel em Direito</span>

Comentários pelo Facebook: