Seet
Sobral – 300×100

Imoralidade dos contratos em Araguaína: tá tudo dominado, diz jornalista

Redação AF -
Foto: Divulgação
Loteamento de cargos ajuda nas eleições

Alberto Rocha // Jornalista

A coisa pode até ser legal, mas é incrivelmente injusto, corrupto e  imoral. Quando me falaram eu não acreditei. Então, fui conferir e descobri que tem tudo para ser verdade.  Refiro-me aos milhares de servidores contratados que trabalham na Prefeitura.

A informação é que grande parte desses contratados foram empurrados na Prefeitura pelas mãos de vereadores que apoiam o Executivo.  E o pior: os cargos ou empregos estão loteados por secretarias, isto é, cada vereador que tem direito à indicação, dominaria um setor.

Por exemplo:  vereador “A” domina os contratados da secretaria da educação, ou seja, qualquer contratado só entra se tiver a indicação ou a senha do tal vereador. Vereador “B” e “C” dominam  a saúde; vereador “D”, “E” e “F” dão as regras na habitação, ação social; vereador “G” manda no CCZ, e por aí vai, até chegar ao vereador “Z”. Está tudo dominado.

E é aí que começa a briga e certa ciumeira entre os nobres parlamentares. Um fica vigiando o outro para saber quem tem mais emprego. Alguns deles teriam mais contratados que outros, o que estaria gerando desconforto na base.

A briga toda pela fatia dos contratos  se deve ao fato de que os servidores indicados  se transformam em verdadeiros cabos eleitorais dos vereadores em tempo de eleição, o que torna o processo injusto, corrupto e imoral. Acredita-se que cada contratado consegue, no mínimo, 5 votos para o seu vereador padrinho. Isso significa que, se um vereador  tem 300 contratos, esse parlamentar já sai com cerca de 1.500 votos na frente dos outros coitados candidatos que não têm nem dinheiro para colocar gasolina na biz para andar atrás de votos.

Mas a imoralidade não esbarra por aí, pois a fome é grande. Não satisfeitos, a maioria dos vereadores ainda consegue empregar esposas, filhos, sobrinhos, primos, amigos,  parentes, coleguinhas, o diabaquá.

E quem paga a farra? ou melhor, quem paga esses verdadeiros cabos eleitorais? a população, sou eu, é você, é todo mundo. Se falta dinheiro, sobra cinismo na cara dos que mandam a conta para o povo pagar.

Vamos protestar? posso contar com você?

 Alberto Rocha- jornalista

Comentários pelo Facebook: