Seet
Sobral – 300×100

Advogado de Hiago diz que estudante Fabrício Martins provocou a própria morte com ‘ameaças terríveis’

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Iago matou Fabrício e ocultou o corpo do jovem

Agnaldo Araújo //AF Notícias

A defesa de Hiago Pereira, suspeito de matar o estudante Fabrício Martins e ocultar o corpo, contestou a acusação do Ministério Público e afirmou que Hiago cometeu o crime sob “uma forte e violenta emoção provocada por Fabrício”. O crime ocorreu no dia 19 de maio, motivado por um vídeo que Hiago produziu de Fabrício dentro do banheiro da empresa onde trabalhavam, mostrando as partes íntimas do colega.

Em razão do vídeo, Fabrício disse que iria entregar Hiago ao Departamento de Recursos Humanos e passou a exigir R$ 4 mil para não denunciá-lo à empresa. Hiago foi preso no dia 08 de junho e confessou o crime.

O advogado do suspeito, Daniel Bispo, afirmou que Hiago não planejou o crime. “Ele cometeu o crime motivado pelo próprio Fabrício. A denúncia aponta que ele foi cruel, mas não foi. Diz que ele premeditou, mas não premeditou; que ele foi dissimulado, coisa que ele também não foi”, diz o advogado.

Daniel Bispo confirmou que Hiago gravou um vídeo de Fabrício Martins e, posteriormente, passou a ser chantageado por Fabrício. “Eram ameaças diárias pelo Facebook, WhatsApp, eram seis, sete por dia. E nessas ameaças ele era bem agressivo com Hiago, chegando ao ponto de ele não suportar mais e cometer o crime”, pontou.

Para o advogado, o crime só ocorreu devido à provocação de Fabrício. “As ameaças eram terríveis, Fabrício xingava o Hiago, dizia que ia entregá-lo para a polícia, que ele ia ser preso, coisa do gênero, e principalmente falava que ele ia ser demitido”, ponderou.

A defesa de Hiago argumenta ainda que o crime ocorreu após uma discussão. “O Fabrício foi até a casa de Hiago para receber o dinheiro, mas quando ele chegou lá Hiago disse que não tinha o dinheiro todo, somente R$ 1 mil. O Fabrício então ficou furioso e foi aí que eles discutiram”, contou o advogado.

Nesse momento, conforme a defesa, “num súbito momento de emoção, dado a provocação do próprio Fabrício”, Hiago desferiu os golpes de faca contra Fabrício.

Cometeu o crime sozinho

O advogado disse que Hiago praticou o crime sozinho. “O Iago fez tudo sozinho. As testemunhas comprovam, as provas técnicas também. Inclusive o carrinho para transportar o corpo ele pegou depois da meia noite, descaracterizando qualquer premeditação do crime. Se fosse planejado ele teria pegado o carrinho antes de cometer o crime”, defendeu.

Hiago não procurou ajuda

Questionado sobre o porquê Hiago não procurou ajuda quando começou a ser chantageado por Fabrício, o advogado disse que ele tinha medo. “O Hiago tinha medo de recorrer porque ele era ameaçado, tinha medo de perder o emprego, porque se ele fosse a público o caso viria à tona. O medo dele e a emoção dele provocada pelo Fabrício fez ele cometer o crime”, voltou a afirmar.

Veja mais

Estudante universitário desaparece na noite do aniversário em Araguaína; família pede ajuda

Polícia Civil prende suspeito de matar estudante Fabrício Martins; autor e vítima trabalhavam juntos em frigorífico

Comentários pelo Facebook: