Amastha esquece ‘vagabundos’ e pede cautela nas palavras para evitar debandada de prefeitos

Redação AF - |
Foto: JTo
Carlos Amastha (PSB)

O prefeito Carlos Amastha começou se movimentar para tentar evitar a maior debandada de prefeitos de um único partido e de uma só vez na história política do Tocantins.  O primeiro a anunciar que deixará o PSB foi o prefeito de Gurupi, Laurez Moreira. Ele vai se filiar ao PSDB, comandado pelo senador Ataídes Oliveira. Outros sete prefeitos ameaçam abandonar o barco.

Depois que a notícia veio a tona, o PSB reuniu membros da executiva estadual do partido. Na oportunidade, Amastha cobrou cautela de todos os membros ao falar sobre o caso. A orientação é que ninguém faça qualquer tipo de comentário sobre a saída de Laurez ou de qualquer outro prefeito até que a executiva seja comunicada oficialmente. Nos bastidores, o PSB trabalha para manter os prefeitos no partido. Por isso, qualquer palavra mal colocada numa hora dessas pode causar problemas.

Conforme a coluna Antena Ligada, do Jornal do Tocantins, a previsão é que sete dos nove prefeitos que hoje estão no PSB deixem o partido. Um dirigente da sigla afirmou que até agora não houve nenhum comunicado oficial. Nas contas do dirigente, dois desses seriam próximos de Laurez Moreira e possivelmente seguirão o prefeito de Gurupi. O restante ainda não confirmou a saída.

Dessa movimentação antropofágica de troca de partidos, restou um desabafo do dirigente do PSB. “Os prefeitos estão sofrendo uma pressão muito grande com emendas parlamentares”, argumenta. Essa seria uma motivação para a mudança de partido. Porém, é fato também que Amastha desagregou muito ao se referir aos políticos tocantinenses como ‘vagabundos’ que só pensam em eleição.

A saída dos prefeitos, em se confirmando ou não, o PSB já planeja uma intensa movimentação no Estado a partir de agosto, para recompor as bases do PSB no interior.

VEJA MAIS…

Após chamar políticos de ‘vagabundos’, partido de Amastha perderá 7 prefeitos

Comentários pelo Facebook: