Aprovados da Polícia Civil do Tocantins cantam parabéns em ‘aniversário’ de quatro anos do concurso

Agnaldo Araujo -
Foto: Divulgação
Os aprovados cobram a nomeação

Nielcem Fernandes//AF Notícias 

Os aprovados no concurso da Polícia Civil, realizado ainda em 2014, mas que não foram convocados até agora, realizaram um protesto em frente à sede da Secretaria de Segurança Pública do Tocantins (SSP) com direito a bolo de aniversário e a tradicional música de ‘parabéns’. A manifestação ocorreu na manhã dessa segunda-feira (26) com o objetivo de exigir do Governo do Estado a nomeação dos candidatos. Ninguém da secretaria apareceu para dialogar com os manifestantes.

De acordo com Bruno Gomes Borges, representante da comissão dos aprovados e candidato ao cargo de delegado, 156 candidatos ainda não foram convocados.

“Hoje completam quatro anos que o edital foi publicado no Diário Oficial alegando urgência e necessidade na contratação de todos os profissionais: delegados, agentes e peritos. Contudo, não houve a nomeação efetiva nem de 60% dos aprovados. Ainda restam 156 remanescentes e o governo sequer publicou um cronograma definitivo”, disse.

No ato, os manifestantes usaram nariz de palhaço, ironizaram um ‘parabéns’ em comemoração ao aniversário de quatro anos do edital, cobraram as nomeações restantes e também realizaram panfletagem na porta do órgão. Eles ainda distribuíram pedaços de bolo para os servidores da secretaria.

Da sede da SSP, os manifestantes se dirigiram à porta da Assembleia Legislativa e deram prosseguimento à manifestação.

CERTAME

O concurso da Polícia Civil foi realizado em 2014 e até o momento, segundo a comissão dos aprovados, ainda restam 156 remanescentes para serem nomeados, sendo 37 para o cargo de perito criminal, 78 para o cargo de escrivão e 41 para delegado de polícia. O certame previa o preenchimento imediato de 397 vagas para esses cargos e o restante para cadastro reserva.

Com a não convocação de todos os aprovados aptos a tomarem posse e devidamente formados pela academia de polícia, o concurso se arrasta por quatro anos com nomeações parceladas por parte do governo estadual e sem a publicação de nenhum cronograma que defina quando elas irão acontecer, deixando os candidatos a mercê da boa vontade da administração pública.

Ao todo, em torno de 16 mil candidatos fizeram as provas da primeira fase. Já a segunda etapa foi realizada no segundo semestre de 2016, com o curso de formação, o que deu continuidade ao certame, que estava paralisado desde o final do ano de sua realização.

No momento ainda faltam ser convocados 37 peritos, 40 delegados e 78 escrivães. Todos os aprovados já fizeram o curso da formação na Academia de Polícia e estão aptos a tomarem posse.

Realizado com dispensa de licitação por conta de sua urgência, o concurso se arrasta por quatro anos com nomeações parceladas e sem a publicação de nenhum cronograma que defina quando elas irão ocorrer.

Comentários pelo Facebook: