Seet
Sobral – 300×100

Aprovados no concurso da Defesa Social criticam homenagens do Governo ao Dia Internacional da Mulher

Redação AF - |
Cronograma do concurso está paralisado há sete meses
Cronograma do concurso está paralisado há sete meses

Da Redação //AF Notícias

Em resposta às homenagens em comemoração pelo Dia Internacional da Mulher, a comissão de aprovados no concurso da Secretaria de Cidadania e Justiça (Seciju) do Tocantins emitiu nota de repúdio em que declara indignação pelos “clichês” utilizados pelo Governo na passagem da data.

Os aprovados cobram a retomada do cronograma do concurso, paralisado desde 17 de julho de 2015, com a convocação dos aprovados para a realização do curso de formação profissional, bem como das fases subsequentes.

Na Lei Orçamentária Anual (LOA) 2016 foram destinados mais de R$ 8 milhões para o custeio integral do curso de formação profissional, conforme a edição da Lei nº 3.052, de 21 de dezembro de 2015, publicada no Suplemento II do Diário Oficial nº 4.527. Contudo, o Governo ainda não divulgou o cronograma de retomada do certame.

Confira a nota na íntegra:

“Indignadas, aprovadas no concurso da SECIJUS repudiam clichês do governo, 08 de março de 2016, Dia Internacional da Mulher, dia em que se comemora o espaço e o respeito conquistado. Mas que respeito? Espaço, talvez. Mas ainda estamos à procura do respeito.

Considerada imperfeita por natureza e posta como um elemento secundário, a mulher sempre ficou um degrau abaixo nos temas políticos e sociais, ficando invisível por muitos séculos e carregando consigo o estereótipo de que sua existência era quase insignificante. Em meados do século XX, o cenário vai se modificando, ou melhor, dizendo, sendo modificado pelas mãos femininas. A luta foi abrupta, doeu na pele, eram mãos calejadas e o cansaço estampado na cara. Isso tudo se fez necessário para que o espaço no mercado de trabalho fosse alcançado, uma vez que pouco se ouvia falar de política pública e respeito ou estes simplesmente não existiam, principalmente para as mulheres que queriam ter sua autonomia naquela época.

Hoje, em pleno século XXI, segundo nossos políticos, existe sim, o tal respeito. Agora, voltamos a perguntar: Cadê o respeito, Srs. Governantes?  Não cogitamos o respeito de sermos chamadas de senhora ou senhorita, ou de simplesmente sermos tratadas com cortesia por um homem, mas sim o respeito de um Estado o qual nós ajudamos a construir, o respeito dos governantes que elegemos.

Estamos num verdadeiro retrocesso e um Estado sem uma política pública que respeite verdadeiramente as conquistas das mulheres está se tornando cada dia mais sólido em seus pilares “marqueteiros’’.

Senhores, não queremos os eventos no dia 08 de março porque todos os dias são nossos. Todos os dias, somos mães. Todos os dias, saímos de casa em busca do sustento. E, todos os dias, esse alicerce que desperta quase sempre às 05h da manhã precisa se levantar cada dia mais forte, pois, caso contrário, tudo desmorona.  Não queremos cartilhas explicativas sobre nossos direitos, pois deles sabemos de cor e salteado. Não queremos conselhos.  Queremos respeito, o cumprimento do nosso direito, tão bem escrito e taxado nas redes sociais e discursos, porém o verdadeiro significado não vos acompanha no peito. Tornou-se apenas mais um bordão estratégico para nos empurrar goela abaixo as arbitragens feitas para que não possamos usufruir do nosso DIREITO de CONCURSADAS DO SISTEMA PRISIONAL DO ESTADO DO TOCANTINS.

Que fique claro, senhores gestores da Secretaria de Cidadania e Justiça, nós, mulheres candidatas e esposas de candidatos que estão vendo suas vidas financeiras desabarem e seus filhos pedirem o que não se pode dar por CULPA do descaso, procrastinação, má fé e preterição por aqueles que não tiveram a capacidade de alcançar a MERITOCRACIA e, por questões de primazia política, hoje ocupam os cargos que são nossos por direito, não vamos desistir do nosso DIREITO.

E, assim como as mulheres do século XX, se preciso for, trabalharemos em dobro ou triplo, faremos vigília, nosso grito de mulher será ouvido, venceremos. E desse direito iremos usufruir, sim. Faremos jus ao nome que a Secretaria, hoje, carrega: CIDADANIA E JUSTIÇA.

Palmas – TO, aos 08 de Março de 2016

COMISSÃO OFICIAL DOS CANDIDATOS APROVADOS NO CONCURSO DA SECRETARIA DE CIDADANIA E JUSTIÇA”

Comentários pelo Facebook: