Sobral – 300×100
Seet

Aprovados no concurso da Polícia Civil acusam Governo de fazer ‘propaganda enganosa’

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Propaganda divulgada pelo Governo do Estado

A comissão dos candidatos aprovados no concurso da Polícia Civil do Tocantins para o cargo de peritos sivulgou nota de “repúdio” ao que chamou de “propaganda enganosa” do Governo do Estado onde informa que já teriam sido convocados 400 dos 515 candidatos que participaram do certame ainda em 2014.

A comissão dos aprovados afirmou que apenas 248 foram convocados inicialmente para tomar posse. Número bem inferior aos 515 que foram aprovados no concurso, isso incluindo o teste físico, psicológico e o curso de formação. “Estes 248 convocados representam um quantitativo bem diferente dos 400 propagados e divulgados em outdoors pelo governo”, escreveu.

Os aprovados ressaltaram que apenas no dia 12 maio de 2017, depois de quase três anos depois da realização do concurso que foi realizado inicialmente para provimento imediato das vagas devido a urgência em suprir o grande déficit da Segurança Pública no Tocantins, o governo decidiu nomear os candidatos e quando o fez, convocou menos da metade dos aprovados.

O governo estadual publicou no Diário Oficial nº4.865 a nomeação de 53 candidatos aprovados para o provimento de cargos de delegado, sendo 13 médicos legistas, 35 peritos, 63 escrivães, 44 agentes e 26 necrotomistas.

“Ao todo, 267 profissionais ainda aguardam uma posição do governo, que continua fazendo promessas vazias sem estabelecer um cronograma definitivo, sem se comprometer com datas e sem afirmar com precisão quando o restante dos aprovados será nomeado. São 267 candidatos que permanecem aflitos depois de três anos, 267 cidadãos que interromperam suas vidas para se dedicar ao sonho de passar em um concurso público. Enquanto o governo responde com descaso, a população continua sofrendo com tanta violência”, disse a comissão.

O grupo ainda reconheceu os esforços do governo em equipar a polícia e melhorar sua infraestrutura. “Mas para evitar o aumento da criminalidade é preciso de policiais trabalhando“, pontuou.

Para os aprovados é necessário colocar em ação a polícia que investiga, preparada, que coíbe os homicídios, estupros, formação de quadrilha e demais crimes que tanto assolam os tocantinenses. “É preciso dar segurança à população e pra isso é preciso convocar todos os aprovados. O povo do Tocantins não aguenta mais tanta violência e tanta mentira”, finalizaram.

Comentários pelo Facebook: