Sobral – 300×100
Seet

Araguaína ganhará Laticínio com capacidade de receber 40 mil litros de leite por dia

Redação AF - |
Foto: Marcos Filho
O projeto do laticínio foi apresentado a produtores de leite para incentivar a produção na macrorregião de Araguaína; obras devem começar em maio, com previsão de entrega para este ano

 

Mais de 30 pequenos produtores rurais receberam o prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, na sede da Associação São Manoel, no Assentamento Reunidas, a 160 Km da cidade, na manhã do último domingo (19).  O prefeito apresentou o projeto do Laticínio Municipal, que deverá ser instalado ainda este ano na cidade, e deu orientações. O objetivo do laticínio é incentivar a produção, coleta e beneficiamento do leite de toda a macrorregião de Araguaína. O início das obras está previsto para o mês de maio.

O Laticínio Municipal terá a capacidade total de 40 mil litros por dia. Depois da liberação da licença no Naturatins, o prazo de execução da obra será de 120 a 150 dias. Também haverá refeitório, parte administrativa, vestiário, parte sanitária dos caminhões (onde será feita a limpeza dos veículos) e área de decantação.

“O leite beneficiado já vai sair com o SIF – Serviço de Inspeção Federal, ou seja, poderá ser vendido em qualquer região do país”, explicou Dimas.

Participaram ainda da reunião com os pequenos produtores o deputado estadual Elenil da Penha; a prefeita de Aragominas, Eliete Melo; o secretário do Planejamento, Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, Ângelo Marzola Júnior; e o secretário da Infraestrutura, Simão Moura.

Instalação

Os produtores e as lideranças discutiram sobre a construção e instalação do laticínio municipal, que será instalado no Distrito Agroindustrial de Araguaína (Daiara). As cooperativas Valecoop e Vale do Araguaia já irão participar da produção com os seus cooperados.

O presidente da cooperativa Valecoop, Antonio Ventura, que também estava presente, explicou que a cooperativa funciona como representante dos produtores. “Estamos concentrando nossa ajuda para o pequeno produtor. Recentemente demos uma assistência técnica, manejo, e até um curso de inseminação artificial”, diz Ventura.

Projeto

A Prefeitura fez o projeto civil e ambiental do laticício, já homologado no Naturatins. O projeto civil foi referendado pela Caixa Econômica Federal (CEF) e solicitada vistoria junto ao Ministério da Agricultura.

Dimas explicou aos assentados que o projeto ficou engavetado por um tempo, por não ser vantajoso começar algo em meio à crise político-econômica do país. O prefeito ainda relembrou algumas obras que estão em andamento e foram prejudicadas pelo mesmo agravante de repasses estaduais e federais.

Reunião

Há cerca de oito anos morando no Assentamento Reunidas, Nercides José da Silva, é produtor de leite e inicialmente disse que há três meses estava entregando o leite a 1,10 o litro, mas nas primeiras chuvas voltou para R$ 0,80.

“Esse laticínio concluído traz esperança, vai trazer benefício para nós do Reunidas e para toda a região de Araguaína, que vai atingir um raio de 200 a 400 km de pessoas consumindo”, disse o produtor.

Recursos

Os recursos para a construção e compra dos equipamentos do laticínio foram buscados junto ao  Governo Federal, com contrapartida do Município. Sendo R$ 1,6 milhão para a construção da estrutura física, dos quais R$ 970 mil são do Governo Federal e R$ 85 mil do Município.

Para a compra de equipamentos e industrialização do laticínio, são R$ 275 mil de recursos, desses R$ 264 mil do Governo Federal e R$ 11 mil do Município. (Fernanda de Alcantara)

Comentários pelo Facebook: