Seet
Sobral – 300×100

Araguaína recebe menção honrosa por redução de 75% nos casos de calazar

Redação AF -
Foto: Marcos Filho
Resultados alcançados, referentes à intensificação das ações preventivas e de controle, são destaque em relação aos demais municípios da região
Araguaína (TO), no norte do Estado, teve uma considerável redução em casos de leishmaniose visceral, o calazar, nos últimos três anos. Os resultados alcançados são referentes às ações preventivas que foram intensificadas no Município, após metas de plano de ações traçadas pelas equipes de saúde de municípios do Médio Norte Araguaia.

Araguaína atingiu a meta em 2015 destacando-se dos demais municípios da região. Em reconhecimento, recebeu do Governo do Estado um certificado de menção honrosa. “O desempenho alcançado é positivo decorrente ao intenso trabalho de vigilância em casos humanos, controle de casos em cães e o controle vetorial do mosquito palha, transmissor da doença”, explicou a coordenadora municipal de controle das leishmanioses, do Centro de Controle de Zoonoses (CZZ), Ketren Carvalho.

Para o secretário da Saúde do Município, Jean Coutinho, o certificado é o reconhecimento do trabalho e esforço das equipes. “Esse trabalho é tão importante ea grande beneficiada é a população de Araguaína. Quanto mais intensificamos as ações, menos casos de doenças vão ser registrados e mais vidas são preservadas”, destacou Coutinho.

Redução

Com o trabalho preventivo, os casos da doença diminuíram consideravelmente no Município. Em 2013 foram registrados 102, em 2014 foram 49 e em 2015, 45. A redução é de 75% em casos com óbitos sendo que, em 2014 foram 4 mortes registradas e, em 2015, apenas uma ocorrência.

Além dos trabalhos realizados pelas equipes do CCZ, como orientações às famílias, recolhimento de animais contaminados com a doença e distribuição de coleiras, a comunidade pode ajudar mantendo os quintais limpos. Poda em árvores, recolhimento de folhas, frutos e fezes dos animais, são ações que todos podem fazer em suas residências para evitar o calazar.

Comentários pelo Facebook: