Seet
Sobral – 300×100

Armadilhas para capturar o mosquito da dengue são distribuídas em Araguaína

Agnaldo Araujo - |
Foto: Marcos Filho
As armadilhas foram distribuídas no Setor Céu Azul

Equipes de saúde e assistência social da Prefeitura de Araguaína realizaram na tarde da última quarta-feira (02/03), na sede do Centro de Referência e Assistência Social (CRAS I), no Setor Céu Azul, mais uma ação de combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e do vírus Zika. A comunidade e alunos da Escola Municipal José Ferreira Barros participaram de palestras e confeccionaram armadilhas, que foram distribuídas nas casas do setor.

De acordo com a superintendente de Proteção Social, Valéria Domingues, é muito importante, a participação da comunidade. “Se todos nós estivermos unidos, vamos combater o mosquito. A luta é de todos, manter quintais limpos, não acumular água em recipientes, são ações simples que todos podem fazer”, disse.

Combate 

A coordenadora do Programa de Combate à Dengue em Araguaína, Mariana Parente, explicou na palestra que com a colaboração de toda a comunidade fica mais fácil os profissionais de saúde combaterem o mosquito. “A tarefa de limpeza para evitar focos é de todos. Vocês sabiam que o ovo do mosquito pode durar até um ano? E que a fêmea deposita mais de 100 ovos de uma só vez? Eles ficam esperando só chover para se transformarem em mosquito”, explicou.

Ainda segundo Mariana, são sete a dez dias o período para ele transformar-se da fase de larva ao mosquito e depois de adulto vive em torno de 30 a 45 dias; prazo suficiente para picar muitas pessoas visto que se alimenta de sangue.

A estudante Jasmim Carneiro Feitosa, de 11 anos aprendeu muito sobre o mosquito e as doenças. “Nunca tinha participado de uma palestra sobre o assunto e estou mais esclarecida”, disse.

Mais ações 

Equipes de Vigilância em Saúde, do Centro de Controle de Zoonoses e da Vigilância em Saúde em Araguaína estão realizando atividades de educação em saúde nas escolas municipais, com apresentação dos temas sobre doenças de forma dinâmica, utilizando fantoches.

Palestras, confecção de armadilhas, orientações para funcionários nas escolas estaduais, além de vistorias, estão sendo realizadas em parceria com a Diretoria Regional de Ensino (DREA), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e outros órgãos.

Também está sendo feita borrifação com bombas especialmente em pontos estratégicos, onde foram encontrados mais focos de infestação do mosquito e distribuição de armadilhas. Os carros ‘fumacê’, também estiveram em Araguaína no mês de janeiro, passando pelos bairros onde foram registrados mais focos de infestação do Aedes.

O trabalho de rotina está sendo intensificado nos setores com a força-tarefa dos agentes de combate a endemias e com os agentes comunitários de saúde.

Comentários pelo Facebook: