Seet
Sobral – 300×100

Assaltante que matou sargento da Polícia Militar é denunciado e pode pegar mais de 30 anos de prisão

Redação AF - | - 921 views
Foto: Divulgação
Sargento Jandres Alves Bezerra.

O padeiro Manoel Valdinar Cavalcante dos Santos, que participou do assalto que resultou na morte do sargento da Polícia Militar Jandres Alves Bezerra, de 43 anos, foi denunciado à Justiça pelo Ministério Público Estadual (MPE) pelo crime de latrocínio – roubo seguido de morte, na última quarta-feira (14). A denúncia é assinada pelo promotor Leonardo Olhe Blanck.

O crime aconteceu no último dia 12 de maio, quando o acusado e o comparsa Paulo Josias de Moura foram assaltar um correspondente bancário localizado na Rua Ademar Vicente Ferreira, centro de Araguaína, ao lado do prédio da Defensoria Pública Estadual. O policial estava na fila aguardando atendimento quando percebeu a ação criminosa e tentou impedir.

O sargento trocou tiros com Paulo Josias, que estava no caixa do estabelecimento, mas acabou sendo surpreendido por Manoel, que dava cobertura do lado de fora. Alguns clientes também foram baleados.

Manoel Valdinar foi preso oito dias depois do crime na cidade de Canto do Buriti (PI), na residência de parentes, onde confessou o crime após ser ouvido pelas autoridades policiais. Seu comparsa foi morto em um tiroteio com a polícia pouco depois do assalto.

Na denúncia o MPE solicita a condenação de Manoel Valdinar por crime de latrocínio consumado, em face da morte do policial, e diversos latrocínios tentado, em relação às demais vítimas que estavam no local no momento do assalto e tiroteio, e por sorte não foram atingidas pelos disparos efetuados pelos assaltantes. A pena pode superar 30 anos de prisão.

O sargento ingressou na Polícia Militar em 1994. Ele deixou esposa, quatro filhos e três netos.

VEJA MAIS…

Homem preso no Piauí confessa participação na morte de policial em Araguaína

Tiroteio durante assalto a correspondente bancário deixa policial morto e pessoas feridas em Araguaína

Sargento morto por bandidos estava na PM desde 1994; militar deixa esposa, quatro filhos e três netos

Comentários pelo Facebook: