Seet
Sobral – 300×100

ASTT instala mais oito radares em Araguaína; 31,9 mil motoristas multados em 2017

Redação AF - |
Foto: AF Notícias
Mais oito radares eletrônicos nas ruas de Araguaína

Mais oito radares eletrônicos estão sendo instalados em cinco pontos de Araguaína que concentram grande fluxo de veículos, a exemplo da Avenida Primeiro de Janeiro, Avenida Filadélfia e José de Brito. Cada aparelho fiscaliza duas faixas da rua.

Segundo a Agência Municipal de Transporte e Trânsito (ASTT), os novos radares devem funcionar em meados de dezembro.

Na Avenida José de Brito, terão dois aparelhos no Setor Anhanguera, em um ponto; quatro na Avenida Filadélfia, nos setores Oeste e Senador, em dois pontos, sendo que no Bairro Senador envolverá a fiscalização no avanço de sinal vermelho, velocidade acima do permitido e estacionar na faixa de pedestres; um aparelho na Rua Primeiro de Janeiro, no Bairro São João; e um na Avenida Tietê, no Setor Cimba.

Os aparelhos e as câmeras já foram instalados e aguardam a vinda de técnicos do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para aferição, avaliação e autorização para funcionamento.

A ASTT disse que a partir das aferições, serão realizadas campanhas de conscientização dos condutores nesses pontos e, somente a partir dessa Educação para o Trânsito, os aparelhos estarão fazendo a fiscalização.

Em 2016, foram 54.283 motoristas multados em Araguaína. Em 2017, esse número já chegou a 31.954. “Isso mostra que o araguainense está mais atento às leis e principalmente ao respeito ao outro, o que sempre é enfatizado por nossas campanhas educativas, entre elas a Gentileza gera Gentileza e Vida no Trânsito”, apontou o diretor de Educação para o Trânsito da ASTT, Claudiel Santos.

Segundo dados do Serviço Móvel de Urgência (SAMU), em 2017, foram registrados em Araguaína até outubro mais de 700 acidentes, entre atropelamentos, colisões e capotamentos. “O nosso objetivo é salvar vidas. Nos quatro pontos onde já existem os aparelhos na cidade, os acidentes foram reduzidos a zero. Isso significa qualidade de vida e segurança. Quem já foi vítima ou perdeu parentes em acidentes sabe do que eu estou falando”, afirmou o presidente da ASTT, Fábio Astolfi.

É o caso da professora Érica Lima de Sousa, que sofreu um acidente em janeiro de 2016, na Avenida Tiradentes, no Bairro São João. “Eu estava voltando do trabalho pilotando a minha moto, às 17h30, quando um carro sem dar seta foi para a esquerda e de repente atravessou a pista para a direita. Foi quando aconteceu a colisão e fraturei meu joelho gravemente”, contou a professora.

Érica disse que a imprudência no trânsito fez sua vida mudar. “Para as pessoas que são imprudentes, eu tenho a dizer que por conta delas as vidas de suas vítimas mudam completamente, tanto emocional, física e financeiramente. Depois disso fiquei sem trabalhar, não consigo andar normalmente, tive que vender a moto”, afirmou, acrescentando que, com o respeito às regras do trânsito, muitas vidas podem ser preservadas.

VEJA MAIS…

Justiça condena Valuar e inocenta Valderez por indústria da multa em Araguaína

Comentários pelo Facebook: