Sobral – 300×100
Seet

Bandidos que planejavam sequestrar gerente de banco e roubar R$ 300 mil morrem em tiroteio

Agnaldo Araujo -
Foto: Divulgação/SSP
Os criminosos planejavam sequestrar gerente do BB de Colinas e roubar R$ 300 mil

Três suspeitos se integrar uma organização criminosa de assalto a bancos no Tocantins foram mortos em confronto com a Polícia Civil na TO-030, próximo a Taquaruçu em Palmas. A ação ocorreu durante abordagem, por volta das 18h da última quinta-feira (07/04) próximo ao local conhecido como “Mirante”.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), Afonso de moura Moreno, de 34 anos, Flávio Andrade da Silva, de 18 anos e Ludevane dos Anjos da Silva, 27 anos, ocupavam um veículo roubado no mesmo dia em Palmas. Eles foram mortos em confronto com os policiais do grupo Tático.

Conforme informações da delegada titular da Deic, Liliane Amorim Albuquerque, os três suspeitos não obedeceram a ordem de parada dada pelo Gote e começaram a disparar contra os policiais, que revidaram. Durante aproximadamente 400 metros, houve perseguição, sendo que os três homens conseguiram romper uma segunda barreira feita pelo Gote e só pararam o veículo, após o mesmo ter seus pneus estourados.

No entanto, os suspeitos não se renderam e saíram do carro atirando nos policiais civis, o que deu início a um novo confronto, resultando na morte dos três. Um dos suspeitos morreu no local, os outros dois ainda foram socorridos pelo Gote, mas morreram ao dar entrada no hospital.

Segundo a delegada, a Deic estava investigando uma quadrilha especializada em cometer crimes de extorsão mediante sequestro (modalidade conhecida como sapatinho) e obteve informações de que os três suspeitos mortos estariam se deslocando para Lagoa do Tocantins, a fim de sequestrar o dono de um posto de combustíveis e, com isso, arrecadar fundos para cometer outro “sapatinho”. Desta vez, seria contra o gerente do Banco do Brasil de Colinas do Tocantins, na próxima semana, de onde tinham a intenção de roubar cerca de R$ 300 mil

Foto: JTO

Com base nas informações, os policiais civis da Deic, juntamente com o Serviço de Inteligência da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), e o Gote, traçaram uma estratégia para realizar o acompanhamento da quadrilha, que se deslocava de Porto Nacional para Lagoa do Tocantins e efetuar a abordagem da mesma. Sabendo da periculosidade dos suspeitos e da iminência de um confronto, os policiais civis mapearam o local, por onde os suspeitos passariam e decidiram realizar a abordagem dos indivíduos, próximo ao Mirante de Taquaruçu, com a finalidade de não expor a população a potenciais riscos.

De acordo com os delegados responsáveis pela operação, Flávio, Afonso e Ludevane, já haviam cometido três crimes, sendo um em Porto Nacional, onde mantiveram um fazendeiro refém, e outros dois em Palmas, onde roubaram, em uma distribuidora de gás da região sul, o veículo utilizado no momento em que foram abordados. Ainda conforme os levantamentos da Polícia Civil, eles também mantiveram uma família refém, em Palmas, na manhã da última quinta-feira (07/04), a fim de realizar outra extorsão, mediante sequestro.

Ainda segundo a apuração realizada pela Deic, o objetivo final da quadrilha seria levantar dinheiro, com os crimes de sequestro e extorsão, para adquirir uma metralhadora .50, com a qual pretendiam assaltar carros-fortes.

Conforme a delegada Liliane, a desarticulação da organização criminosa significa mais um duro golpe contra a criminalidade, uma vez que os suspeitos eram considerados de alta periculosidade e já haviam cometido vários crimes, em diferentes cidades do Estado. “A ação foi realizada com êxito e, desta forma, nós pudemos evitar que mais uma família fosse feita refém e mais crimes pudessem ser cometidos por essa quadrilha, trazendo mais paz e segurança a toda população do Estado. Infelizmente, os três suspeitos tiveram a chance de se entregar a polícia, mas preferiram o confronto e, desta maneira, acabaram vindo a óbito”, ressaltou.

Comentários pelo Facebook: