Casa do Estudante Indígena de Araguaína ameaça desabar; 25 pessoas moram no local

Agnaldo Araujo -
Foto: AF Notícias
Casa do Estudante Indígena de Araguaína

Márcia Costa // AF Notícias

A Casa do Estudante Indígena de Araguaína está em condições precárias. O imóvel localizado no Bairro JK não recebe reforma há muitos anos e, por isso, a estrutura antiga ameaça desabar, mesmo assim a casa abriga 25 pessoas das etnias Xerente, Guarani, Karajá Xambioá e Krahô Kanela.

Os estudantes indígenas são acadêmicos da Universidade Federal do Tocantins e moram com suas famílias na Casa.

O prédio tem 20 anos e a estrutura comprometida vem causando medo e insônia aos moradores. Fotos enviadas ao AF Notícias pelos estudantes mostram telhas e janelas quebradas, paredes com mofo e infiltrações, pias sem condições de uso e fiação antiga, aumentando o risco de acidentes e incêndio.

“A situação é precária. Quando chove forte o prédio treme todo, querendo desabar. A gente sai de baixo. Outra questão é a falta de segurança, pois os muros caíram. De vez em quando a polícia entra aqui atrás de ladrão, temos crianças e todas ficam assustadas, vivemos com medo”, disse o estudante Glalko Kuriru Karajá.

Segundo o estudante, a FUNAI é o órgão responsável pela manutenção do local. “Não temos nenhum responsável aqui. Antes era uma casa de apoio à saúde e se tornou de apoio aos estudantes. A FUNAI que deveria ser responsável, mas não faz nada. Foi feita uma pintura aqui, mas quem pintou fomos nós. Queremos providências!”.

O AF Notícias entrou em contato com a FUNAI por telefone, mas não obteve retorno. O espaço continua aberto para esclarecimentos.

Foto: AF Notícias
Janelas estão quebradas
Foto: AF Notícias
Estrutura do telhado ameaça desabar
Foto: AF Notícias
Pia de lavar roupas está sem condições de uso
Foto: AF Notícias
Casa do estudante indígena de Araguaína
Foto: AF Notícias
Estudantes denunciam situação precária da Casa do Índio em Araguaína

Comentários pelo Facebook: